Operação foi coordenada pela Polícia Civil de Mogi Guaçu (Reprodução)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

Três homens acusados de integrarem uma quadrilha especializada em roubo de combustíveis foram presos nesta terça-feira (14) em Mogi Guaçu, após dois meses de investigações coordenadas pela DIG (Delegacia de Investigações Gerais).

De acordo com a polícia, os homens seriam responsáveis por cinco ataques realizados neste ano e suspeitos de participação em mais 25 crimes nos últimos dois anos.

O modus operandi era sempre o mesmo: armados, geralmente com armas longas, eles rendiam motoristas de caminhões tanque em rodovias, à noite, e os mantinham reféns até que conseguissem levar a carga para um esconderijo.

Foram presos Sidnei Nascimento, Luiz Betanin e Geraldo Bordin Neto. Além do trio, uma funcionária de um posto de combustíveis às margens da Rodovia SP-340, no distrito de Itaqui, também foi presa, acusada de ter negociado uma carga de etanol que havia sido roubada.

Sua identidade, contudo, não foi divulgada, já que o caso segue em apuração. Dois postos de um mesmo proprietário tiveram as bombas lacradas. De acordo com a delegada Edna Elvira Salgado Martins, da DIG, outros dois suspeitos foram identificados e estão sob investigação.

A participação do dono do posto na negociação ilegal da carga também é investigada. A polícia também tenta identificar outros receptadores. “Se tem o roubo de carga, é porque tem quem compre”, diz a delegada. Na operação também foram apreendidas uma espingarda calibre 12, um revólver calibre 38, dois carros, documentação e placas de veículos.