Polícia Civil tenta chegar ao autor de bárbaro crime em Itapira (Arquivo/Ilustração)
Publicidade    
Publicidade - Anuncie aqui

O crime bárbaro que resultou na morte do empresário Sérgio Barbosa de Oliveira Júnior, 58, no último sábado (22) em Itapira segue sob a investigação da Polícia Civil. A vítima foi esfaqueada e teve o corpo incendiado ainda viva, sendo socorrida ao Pronto Socorro do Hospital Municipal, mas não resistindo aos ferimentos.

O caso chocou não só a comunidade local, como também ganhou repercussão nacional. Desde a noite do crime, o SIG (Serviço de Investigações Gerais) da Delegacia de Polícia de Itapira trabalha na investigação para tentar chegar ao autor do homicídio qualificado.

O delegado titular Anderson Cassimiro de Lima já colheu o depoimento de diversas pessoas, além de um sócio do empresário, interrogado ainda na madrugada seguinte ao crime por ter sido, provavelmente, a última ou uma das últimas pessoas com quem Barbosa teve contato antes de ser brutalmente assassinado.

A Polícia Civil também analisa imagens de câmeras de monitoramento de locais por onde a vítima teria passado antes do crime. Um desses locais é a Rua Francisco de Paula Moreira Barbosa, onde ele teria ido a um estabelecimento comercial, e também, nas mesmas proximidades, o local em que seu carro foi encontrado com princípio de incêndio.

Também foram buscadas imagens de câmeras de estabelecimentos de Mogi Mirim, onde Barbosa teria ido antes de ser encontrado em chamas já no acesso a Itapira. Seu corpo foi sepultado na tarde de domingo no Cemitério Municipal da Saudade. Ele deixou duas filhas.

O CRIME

Segundo informações iniciais, na noite do crime a vítima teria sido vista discutindo com outro homem em um estabelecimento comercial. Depois, por volta das 22h30, agentes da Intervias – concessionária que administra a Rodovia SP-147, avistaram um foco de incêndio próximo à sua base, na alça de acesso a Itapira.

Eles foram averiguar e se depararam com um homem com o corpo em chamas. O fogo foi controlado e, inicialmente, os socorristas pensaram se tratar de uma tentativa de suicídio. A hipótese foi descartada quando foram percebidas no corpo de Barbosa diversos ferimentos provocados por faca, especialmente na região do pescoço.

Com 98% do corpo queimado, ele deu entrada em estado grave no Pronto Socorro do Hospital Municipal, mas faleceu quando estava sendo entubado. A partir daí iniciou-se os trabalhos de investigação, que segundo fontes, pode ser concluído nas próximas horas.