Polícia Federal cumpre mandados em pelo menos 30 municípios (Divulgação)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quarta-feira (9) uma operação que investiga desvio de recursos do Governo Federal para a educação, especificamente para a compra de merenda escolar, uniformes e material didático.

A operação ocorre em 30 municípios dos estados de São Paulo, Paraná e Bahia, além do Distrito Federal. Na região de Itapira, cidades como Mogi Mirim, Mogi Guaçu, Jaguariúna, Socorro e Holambra são alvos de mandados de busca e apreensão.

Em Mogi Guaçu, um dos endereços visitados pelos agentes é a residência do prefeito Valter Caveanha (PTB). Já em Mogi Mirim, os policiais teriam ido à casa de um ex-servidor da Prefeitura. As informações ainda são escassas. Segundo as investigações, cinco grupos criminosos agiam em prefeituras, por meio de lobistas, direcionando licitações. São cumpridos, ao todo, 154 mandados de busca e apreensão, além de afastamentos preventivos de agentes públicos e suspensão de 29 contratos de empresas suspeitas.

Há indícios do envolvimento de 85 pessoas, sendo 13 prefeitos, quatro ex-prefeitos, um vereador, 27 agentes públicos não eleitos e 40 pessoas da iniciativa privada. A Controladoria Geral da União (CGU) identificou, ao longo das investigações, 65 contratos suspeitos, cujos valores ultrapassam R$ 1,6 bilhão.

A operação tem o nome de ‘Prato Feito’. As medidas foram expedidas pela 1ª Vara Criminal Federal de São Paulo e pelo Tribunal Regional Federal da 3ª Região. O inquérito foi instaurado em 2015, quando o Tribunal de Contas da União descobriu fraudes em licitações de fornecimento de merenda escolar em diversos municípios paulistas.

Os investigados poderão responder pelos crimes de fraude a licitações, associação criminosa e corrupção ativa e corrupção passiva, com penas que variam de 1 a 12 anos de prisão.