Governador entregou 72 viaturas da PM e assinou três decretos (Divulgação)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

O governador Geraldo Alckmin anunciou, na última terça-feira (25), um pacote de medidas para reforçar a Segurança Pública. Entre as novidades está a assinatura do decreto que reduz o tempo para que aspirantes da Polícia Militar sejam promovidos a oficiais. O Governo do Estado também autorizou a abertura de concursos para contratação de 2.421 policiais militares, além de entregar 72 novas viaturas, que reforçarão a frota na capital.

As viaturas foram adquiridas por R$ 5,9 milhões, recolhidos por meio de infrações aplicadas na cidade de São Paulo. O investimento é fruto de um convênio firmado com o município para fiscalização do trânsito. Do total de carros, 50 serão destinados ao Comando de Policiamento da Capital (CPC), que as distribuirá para os batalhões responsáveis pelo patrulhamento nas zonas norte, oeste, leste e sul da capital. Os outros 22 veículos irão para o Comando de Policiamento de Trânsito (CPTran), que atua em toda cidade.

Durante a solenidade, foi anunciada a autorização para abertura de dois concursos públicos, que oferecerão 2.200 vagas para soldado de 2ª classe e 221 para aluno-oficial da PM. A formação do soldado no curso superior de Técnico de Polícia Ostensiva e Preservação da Ordem Pública tem um ano de duração, na Escola Superior de Soldados. O policial atua diretamente nas ruas, nos diversos programas de patrulhamento preventivo e ostensivo. A remuneração inicial é de R$ 2.992,54, já incluso o adicional de insalubridade de R$ 634,78.

Já a formação do oficial no curso de bacharelado em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública leva aproximadamente três anos, na Academia de Polícia Militar do Barro Branco. Os oficiais da PM são responsáveis pela fiscalização, gestão e comando do efetivo que atua no policiamento. O salário inicial para o cargo é de R$ 2.946,54, com inclusão do adicional de insalubridade. Ainda durante o evento, Alckmin anunciou a redução pela metade do tempo em que o aspirante a oficial, após a formatura, fica em estágio-probatório até a promoção para 2º tenente.

Atualmente, o aluno-oficial do Barro Branco se forma aspirante a oficial e fica um ano em estágio probatório, acompanhando unidades de patrulha nas regiões onde vai atuar, até a promoção a oficial – 2º tenente. Com a medida, esse prazo cairá para seis meses. A mudança já vai beneficiar os aspirantes a oficiais que se formaram em dezembro do ano passado e estão cumprindo estágio. “As três ações ampliarão muito a segurança pública na região metropolitana de São Paulo. É uma alegria tomar simultaneamente todas essas medidas para o território paulista”, destacou o governador, em cerimônia realizada no Palácio dos Bandeirantes.