Parte do dinheiro roubado foi recuperado pela PM (Divulgação)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

A Força Tática, grupamento da Polícia Militar, conseguiu recuperar parte do dinheiro que havia sido roubado no dia 29 de julho – última noite do Itapira Rodeio Show, em ação criminosa que terminou com a morte do policial militar Alan de Souza Melo.

Segundo apurado, o dinheiro estava na posse de uma garota, menor de idade, que foi apreendida em Mogi Guaçu. Ela seria namorada de um dos acusados de participação no crime, Vitor Eduardo Alves, apontado como o autor do disparo que matou o PM.

A ação da Força Tática aconteceu nesta terça-feira (6). As unidades estavam atuando no apoio à segurança da visita presidencial em Itapira quando receberam denúncia sobre a garota. Com autorização do Capitão Fábio Vieira, comandante da 3ª Cia da PM em Itapira, as guarnições deixaram o local e foram averiguar as informações.

No endereço repassado aos policiais – Rua Joaquim Rodrigues, Jardim Esplanada – eles localizaram a menina de 17 anos juntamente de sua mãe. Abordadas, nada ilícito foi encontrado com elas, mas após questionamentos dos policiais a garota acabou confessando a participação no roubo.

Melo não resistiu aos ferimentos (Divulgação)

Ela contou que na data do crime a quadrilha se deslocou para Itapira em dois veículos – um Fiat/Punto e um VW/Voyage.

De acordo com ela, os criminosos portavam três armas e conversavam com uma pessoa que já estava dentro do Recinto Agropecuário e que passava informações sobre a movimentação financeira da Praça de Alimentação do evento.

As autoridades já têm a identificação do homem que é apontado como o mentor do assalto. Diligências, inclusive, já foram realizadas, mas ele ainda não foi localizado. De acordo com o depoimento da garota, a ação criminosa foi colocada em prática com a autorização dessa pessoa.

Após a troca de tiros que resultou na morte do policial militar quando o mesmo tentou frustrar a fuga dos assaltantes, parte da quadrilha conseguiu deixar o local e o malote com o dinheiro foi escondido em uma construção abandonada próxima ao recinto.

A menina contou que retornou a Itapira na noite do dia 1º de agosto para buscar o dinheiro. Os valores estavam guardados em sua casa e ela chegou a gastar cerca de R$ 5 mil, tendo comprado inclusive um telefone celular novo. Ainda segundo ela, o homem que também teria participado do crime não teria conhecimento de que o dinheiro estava em seu poder.

A menina foi apresentada na CPJ (Central de Polícia Judiciária). O dinheiro foi contabilizado, resultando em R$ 56.369,90 em notas de R$ 100, R$ 50, R$ 20 e R$ 2. Ao todo, a estimativa é que o malote roubado guardava entre R$ 70 e R$ 80 mil, segundo informado pelas vítimas no dia do crime.

A ocorrência mobilizou os policiais Cabo Orozimbo, Cabo Torriani, Sargento Melo e  soldado Arbeli, com apoio das guarnições compostas pela Tenente Fernanda, Tenente Lupino, Cabo Edson, Sargento Amarildo, Cabo Goulart, Cabo Calábria, Cabo Luciano, Cabo Barros, soldado Victor, soldado Dias, soldado Scarabello e pelo Tenente Caio, comandante de operações. O caso segue sendo investigado pela Polícia Civil de Itapira, que atua em conjunto com as unidades militares na coleta de informações e realizações de diligências.