José Antonio Scomparin destaca fomento do setor (Divulgação)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

O projeto Polo Gastronômico ganhou uma nova fase após 10 anos de sua implantação. Trata-se da inclusão de estabelecimentos de Mogi Guaçu e Itapira incentivando assim, o turismo de Mogi Mirim e região. Dessa forma, passa a ter a denominação ‘Polo Gastronômico Baixa Mogiana’. O projeto foi criado em Mogi Mirim com o objetivo de fortalecer o turismo na cidade e também na região.

“Ampliando a rede de participações no Polo Gastronômico só temos a ganhar. O comércio em bares e restaurantes e o consumo em Mogi Mirim e nas cidades vizinhas”, comemora o presidente do Sincomércio de Mogi Mirim e também do projeto Polo Gastronômico, José Antonio Scomparin (foto). O projeto conta ainda com apoio integral do Sesc (Serviço Social do Comércio), Senai (Serviço Nacional da Indústria), Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) e Comtur (Conselho Municipal de Turismo).

“O Sincomércio está encampando o projeto por ser uma forma de desenvolver também o comércio. Se os restaurantes vão bem, seus donos compram em nosso comércio, e seus clientes nos visitando também passam a consumir. Isso é pensar em desenvolvimento como um todo”, afirma o presidente do Sincomercio. Com isso, a certeza de benefícios para o comércio com o aumento da circulação de pessoas concomitantemente gera gastos em bares e restaurante.

Para Scomparin, essa movimentação promove o maior consumo nos negócios das cidades. “Na região temos um turismo de caráter de negócios. Isso é fato”, afirma Scomparin. “Bares e restaurantes tendo maior movimento, com certeza também eles estarão comprando materiais e produtos no comércio das cidades. Assim se movimenta a economia das cidades, aumenta a arrecadação pela Prefeitura. Enfim, todos ganham com isso”, explica.

Nelson Theodoro Junior, secretário do Sincomércio, antecipa a elaboração junto à Diretoria do Polo de atividades para incrementar a proposta de movimentação da economia dos municípios. “Já temos previstas duas atividades para o segundo semestre de 2018. Uma é a realização do Garçon Cross, em parceria com a Secretaria Municipal de Esporte e Cultura de Mogi Mirim. E outra será um Festival de Comida de Boteco. Eventos que vão acontecer e movimentar a cidade”, comemora. A atividade mais próxima será no dia 5 de dezembro, com a Sessão de Negócios, ação de fechamento das atividades do Sebrae. “A Sessão de Negócios é uma ferramenta que foi concebida para promover novas oportunidades de negócios, através de eventos ágeis e dinâmicos entre todas as empresas participantes (compradores e fornecedores) no segmento de bares, restaurantes, lanchonetes”, afirmou Theodoro Júnior.

Ele explicou que a atividade é um instrumento de estímulo e fomentação de negócios, que atende uma necessidade de integração empresarial entre os setores da indústria, comércio e serviços de diversas regiões. Para isso, o evento é organizado na forma de reuniões comerciais, onde compradores e vendedores apresentam seus produtos e/ou serviços em até 2 minutos.

A idealização do Polo se concretizou em 2007 pela iniciativa de José Antonio Scomparin, atual presidente do Sincomércio e presidente da Acimm (Associação Comercial e Industrial de Mogi Mirim) na época de sua criação. A proposta sempre foi a de proporcionar melhorias na qualidade dos produtos, aperfeiçoamento no atendimento e adequada manipulação dos alimentos. Para isso, foram fechadas as várias parcerias, como a junto ao Sebrae para o programa de “Alimento Seguro”, para evitar perdas e desperdícios de alimentos nos estabelecimentos.

José Antonio Scomparin destaca fomento do setor (Divulgação)
  • Alimento Seguro

O Programa Alimentos Seguros (PAS) é uma atividade oferecida para as micro e pequenas empresas do setor de alimentação. Ele visa conscientizar e orientar os empreendimentos sobre as boas práticas durante a produção, o transporte, a manipulação e a estocagem de alimentos. O PAS oferece treinamento que visa capacitar os pequenos negócios para as boas práticas que abordam higiene pessoal, higiene do local de trabalho, dos utensílios utilizados, armazenamento dos ingredientes utilizados nas preparações, qualidade dos produtos adquiridos de fornecedores e temperaturas adequadas. A ABNT conta com norma que especifica os requisitos de boas práticas e dos controles operacionais essenciais a serem seguidos por estabelecimentos que desejam comprovar e documentar que produzem alimentos em condições higiênico-sanitárias adequadas para o consumo.

Nessa nova fase do projeto do Polo Gastronômico, novos modelos foram idealizados para a identificação dos estabelecimentos participantes. O novo símbolo conta com a inclusão do termo “Baixa Mogiana” ao termo “Polo Gastronômico” uma vez que já participam do programa estabelecimentos de Itapira e Mogi Guaçu associados aos de Mogi Mirim. Também serão duas placas de identificação e de graus de participação. Uma será fixada nos locais ingressantes ao projeto. Outra será instalada nos estabelecimentos que alcançarem a certificação “Alimento Seguro”.

  • Integrantes do Polo Gastronômico

Bar do Tina – Mogi Mirim

Brugnetti – Mogi Mirim

Bufett Santa Cruz – Mogi Mirim

Café Cantina – Mogi Mirim

Colônia Italiana – Mogi Mirim

Massas Cecília – Mogi Mirim

Tempero Mineiro – Mogi Mirim

Treviso – Mogi Mirim

Villa Paraty – Mogi Mirim

Boteco do Jorge – Mogi Mirim

Café&Cia – Mogi Guaçu

Girassol – Mogi Guaçu

Luli Padaria – Itapira

  • Diretoria do Polo Gastronômico

Presidente – José Antonio Scomparin

Vice-presidente – Orlando Guarnieri Filho

1º Secretário – Solon Vedovato Pissinatti Junior

2º Secretária – Patrícia de Fátima Severino carvalho

1º Tesoureiro – Flavio Muncio Compagnono

2º Tesoureiro – Rodolfo André machado da Silva