Auto Posto Modelo, na Virgolino de Oliveira, suspendeu atividades (Itapira News)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

A escassez de combustíveis em decorrência da greve dos caminhoneiros já atingiu os postos de Itapira. Depois da correria dos motoristas às bombas nos últimos dois dias, os estoques de gasolina e etanol zeraram em praticamente todos os postos da cidade.

Em raras exceções, alguns estabelecimentos ainda operam com diesel ou, em casos ainda mais raros, com etanol – como é o caso do Auto Posto Cascata, no cruzamento da Rua Funabashi Tokuji com a Avenida Virgolino de Oliveira, consultado na manhã desta sexta-feira (25), às 9h00.

Outros postos, como o Panorama e o Jaguar, ambos na Avenida dos Italianos, e o Willys e Itapirense, na Rua Francisco de Paula Moreira Barbosa, ainda mantinham atendimento nas bombas diesel. Funcionários consultados disseram que não previsão para normalização do fornecimento.

A correria aos postos começou no final da tarde de quarta-feira (23). Assustados com a possibilidade de rápido desabastecimento, os proprietários de veículos automotores se apressaram em garantir o tanque cheio, resultando em enormes filas e grande tempo de espera.

Posto Guaçu Brasil, na Rio Branco, também está sem gasolina e etanol (Itapira News)

A situação se complicou ainda mais na quinta-feira (24). Conforme veiculado pelo Itapira News, em todos os postos da cidade houve registros de filas e longa espera, além de congestionamentos em diversas ruas e avenidas próximas aos estabelecimentos. Um breve protesto de caminhoneiros também foi registrado na manhã de quarta-feira na Rodovia SP-352.

Mesmo com o anúncio de  acordo entre o Governo Federal e sindicatos que representam a categoria dos caminhoneiros, a mobilização continua em todo o país. Os representantes dos caminhoneiros pedem o fim da carga tributária sobre o óleo diesel. Eles contam com a aprovação, no Senado, da isenção da cobrança do PIS/Pasep e da Cofins incidente sobre o diesel até o fim do ano. A matéria foi aprovada pela Câmara e segue agora para o Senado. Caso seja aprovada, a isenção desses impostos precisará ser sancionada pelo presidente da República.