Espaço improvisado funcionou em 2013, mas projeto foi descontinuado (Arquivo/Divulgação)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Espaço improvisado funcionou em 2013, mas projeto foi descontinuado (Arquivo/Divulgação)
Espaço improvisado funcionou em 2013, mas projeto foi descontinuado (Arquivo/Divulgação)
Publicidade - Anuncie aqui

A suposta morte de um morador de rua em decorrência do frio intenso registrado na madrugada do último domingo (12) em Itapira despertou críticas à Prefeitura diante da ausência de um albergue para acolher pessoas em situação de rua no município.

A notícia, divulgada pelo Itapira News na manhã desta segunda-feira (13), gerou comoção e, principalmente nas redes sociais, várias pessoas questionaram a falta de um local específico em que essas pessoas pudessem se abrigar para fugir das baixas temperaturas.

A vítima foi um homem de 58 anos, que aparentemente dormia nas proximidades da Cancha de Bocha do Centro de Lazer ‘Hideraldo Luiz Bellini’, no Cubatão. Apesar da suspeita de que a morte tenha sido provocada pelo frio de 3 graus, ainda não há confirmação oficial sobre o real motivo que levou o homem a óbito.

Em junho de 2013, primeiro ano do governo do prefeito José Natalino Paganini (PSDB), um albergue provisório foi instalado na região central da cidade, dentro de uma ação emergencial motivada pelas baixas temperaturas. O local, depois, seria transferido para um barracão no Conjunto Habitacional Della Rocha I, onde funcionava a sede do Instituto Samaritano de Proteção Social (ISPS), mas reações populares impediram que o projeto se concretizasse.

Depois, um projeto de ativação de um albergue em outro imóvel na região central, também via parceria com o Instituto Samaritano, chegou a ser divulgado pela Prefeitura, mas também não se concretizou. Agora, diante dos novos questionamentos motivados pela possível morte do morador de rua, a reportagem cobrou uma posição da Prefeitura sobre o assunto. A administração lembrou que, conforme havia divulgado em maio, está discutindo o Plano Municipal Para Pessoas em Situação de Rua, trabalho que envolve representantes de diversos setores da sociedade local.

Segundo garantiu a Prefeitura, “uma das ações em curto prazo prevista nesse documento é a reativação do Instituto Samaritano em caráter de pernoite (das 18h00 às 7h30)”. Para isso, ainda de acordo com a administração, “estão sendo finalizadas as contratações dos cuidadores noturnos” e nesta terça-feira (14) deverá ocorrer uma reunião com a comissão que trabalha no Plano. O objetivo do encontro é definir os critérios de acolhimento das pessoas em situação de rua. “Vale lembrar que, mesmo com a reativação do Samaritano, as autoridades deverão respeitar a vontade dessas pessoas, que podem ou não aceitar as regras do local. A expectativa é que até o fim dessa semana essas questões estejam definidas”, finalizou nota enviada ao Itapira News.