Moura responde pela Divisão de Transportes Públicos (Leo Santos)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Selo confirma inspeção de veículos do transporte escolar (Leo Santos)
Selo confirma inspeção de veículos do transporte escolar (Leo Santos)
Publicidade - Anuncie aqui

A Divisão de Transportes Públicos da Secretaria Municipal de Defesa Social encerra nesta sexta-feira (22) a inspeção veicular para o transporte de alunos da rede escolar pública e privada no município.

O procedimento começou na segunda-feira (18), obrigatório para por todos os proprietários de vans, peruas, ônibus e micro-ônibus devidamente cadastrados no órgão. A vistoria acontece semestralmente e tem por objetivo verificar as condições gerais de segurança e documentação dos veículos de transporte escolar.

O ciclo de inspeções foi abrigado na sede da Divisão, anexa ao Departamento de Trânsito, à Rua Almirante Barroso, 318, no Jardim Magali. As vistorias foram feitas entre 7h00 e 10h30 e 13h00 e 16h30. O procedimento é coordenado pelo chefe da Divisão de Transportes Públicos, Marcelo de Moura.

Os veículos inspecionados recebem um selo válido para o primeiro semestre deste ano. Depois disso, nova inspeção deverá ser feita. Moura lembrou que uma alteração na legislação, aprovada no ano passado, reduziu para oito anos a idade de todos os veículos que atuam no ramo. Antes, as vans deveriam ter até 10 anos de uso e, os micro-ônibus e ônibus, 15. “Essa mudança tem por objetivo manter a frota sempre renovada e mais segura, bem como reduzir a emissão de poluentes”, frisou o chefe.

Na inspeção, são analisados itens como luzes externas e iluminação interna dos veículos, dispositivos de segurança como travas e cintos, equipamentos obrigatórios, pneus, câmeras de ré ou espelhos traseiros em vans, além de outros itens e documentação do condutor e do próprio veículo. De acordo com ele, os veículos que circulam ilegalmente no município somam quase que a mesma quantidade dos legalizados – perto de 40. “A fiscalização é permanente, inclusive com apoio da Polícia Militar”, alertou.