Reunião resultou em polêmica e fez Prefeitura voltar atrás em decisões sobre eleição da Uipa
Publicidade - Anuncie aqui também!
Reunião resultou em polêmica e fez Prefeitura voltar atrás em decisões sobre eleição da Uipa
Reunião resultou em polêmica e fez Prefeitura voltar atrás em decisões sobre eleição da Uipa
Publicidade - Anuncie aqui

A Prefeitura voltou atrás e abriu um prazo adicional para que o quadro de associados da Uipa (União Internacional Protetora dos Animais) receba novas adesões.

A decisão foi publicada na edição de sexta-feira (04) do Jornal Oficial de Itapira. O ato foi adotado depois da polêmica gerada em reunião no dia 26 de junho, quando quatro dos cinco interventores que desde dezembro administram a instituição não puderam comparecer e acabaram ficando de fora da associação.

Por consequência, voluntários e interventores acusaram o prefeito José Natalino Paganini (PSDB) de descumprir um acordo feito anteriormente, que garantia que tal reunião aconteceria em um sábado, de forma que todos os interessados pudessem participar.

Na reunião, também havia ficado definida que a eleição para escolher a nova diretoria executiva da Uipa de Itapira, findando assim a intervenção municipal em vigor desde dezembro do ano passado, aconteceria no dia 14 deste mês, às 17h30, na Casa da Cultura ‘João Torrecillas Filho’.

Quanto a isso, a administração também voltou atrás e reagendou o pleito para o dia 26 – um sábado, às 09h30, mantendo o mesmo local. O edital publicado anteontem estabelece que os interessados em se associar à Uipa devem retirar a ficha de inscrição na Secretaria Municipal de Negócios Jurídicos, que fica no Paço Municipal, entre amanhã e sexta-feira, dia 11.

As fichas devem ser retiradas entre 08h00 e 11h30 e 13h00 e 17h30. Os documentos de inscrição devidamente preenchidos deverão ser entregues, no mesmo local, até o dia 14 – segunda-feira. “Todas as pessoas que se associarem no período acima citado terão direito a participar da eleição como candidato, assim como votar”, diz o edital assinado pelo prefeito.

As chapas deverão ser apresentadas no dia da eleição, segundo o procurador jurídico da Prefeitura, Victor Belli de Carvalho. Cada grupo concorrente deverá ter quatro pessoas, que ocuparão cargos de presidente, vice-presidente, tesoureiro e secretário.

ILEGAL

Paganini não se manifestou sobre o assunto, apesar dos contatos feitos pela reportagem junto à assessoria de comunicação da Prefeitura. Quem falou sobre o assunto foi seu líder na Câmara Municipal, o vereador Maurício Cassimiro de Lima (PSDB), durante a sessão da última terça-feira, 1º. Ele disse que os vereadores situacionistas concordam com a insatisfação dos interventores que “se sentiram lesados” e antecipou a publicação do edital. “Os vereadores da base viram e ouviram muito sobre o que aconteceu. Estivemos com o prefeito hoje (terça) e tenho a resposta antecipada. sexta-feira (anteontem) será publicada uma nova convocação para que outras pessoas possam se associar”, disse, perante duas integrantes da comissão interventora da Uipa presentes no plenário – Maria Aparecida de Souza e Ana Carolina Moisés dos Santos.

Ao lado delas, Vivian Maria Guerreiro e Regiane Formigari também fazem parte do grupo, composto ainda pelo secretário municipal de Agricultura e Meio Ambiente, José Alair de Oliveira, único interventor presente na reunião do dia 26 e que conduziu as decisões na ocasião. “Existiu um desacordo, um desencontro de informações. Foi combinado um horário pré-determinado e (a reunião) ocorreu de forma desconsoante, e por isso se é realmente necessário ter uma nova reunião isso será feito para que dê transparência e legitimidade”, confirmou o vereador.

O assunto também foi repercutido, na Câmara, pelo vereador Rafael Donizete Lopes (PROS), que considerou “totalmente ilegal” os atos da administração referentes ao processo eleitoral da Uipa. O vereador chamou a atenção para um artigo do decreto assinado por Paganini em dezembro do ano passado, que versa sobre a intervenção na instituição.

O texto diz que a comissão interventora será composta por cinco pessoas e que uma delas será a presidente, a qual terá, entre outras atribuições, “representar a associação administrativamente e judicialmente, cabendo a este as decisões gerenciais; admitir e demitir funcionários, aceitar e recusar voluntários”.

De acordo com Lopes, este dispositivo por si só já invalida as decisões tomadas pelo secretário municipal na reunião passada, uma vez que a presidente da comissão é Vivian Maria Guerreiro. “Essa reunião na quinta passada foi um ato totalmente ilegal da administração, pois a presidente e os demais componentes não estavam presentes”, lembrou.

O vereador oposicionista também apresentou, durante a sessão, um requerimento para que a comissão interventora, incluindo José Alair de Oliveira, fosse convocada em audiência pública para debater o tema. O pedido recebeu ‘vistas’ (adiamento) do líder do prefeito.

Na tarde de sexta-feira, Vivian comemorou a reconsideração da Prefeitura. “Nós vemos isso com bons olhos, agradecemos à Prefeitura por ter ouvido nossos pedidos para que as pessoas interessadas em se tornar associados da Uipa possam fazer sem que haja somente um horário determinado. Todos que puderem se associar são bem vindos para que possamos dar nova vida à Uipa. De forma nenhuma queremos entrar em atrito com a Prefeitura, mas precisamos ser ouvidos e nossos pedidos não podem ignorados. Temos que ser conscientes que a Prefeitura precisa da Uipa e Uipa precisa da Prefeitura, e por isso devemos trabalhar em conjunto”, ponderou.

Para a interventora, com a abertura de novo prazo para receber inscrições e o agendamento da eleição para uma manhã de sábado tende a tornar tudo mais democrático. “Depois da divulgação do ocorrido pela mídia social e pelo jornal Tribuna, recebemos inúmeras mensagens de apoio de pessoas que queriam que continuássemos ajudando a Uipa. O que nos preocupou muito foi que de repente pessoas que não são envolvidas com a proteção dos animais  manifestaram interesse em assumir a gestão da instituição. Nós, que há sete meses temos vivido intensamente a realidade da Uipa sabemos que isso requer muito mais do que simpatia pelos animais, é realmente uma luta”, comentou.