Evento contou com a presença do prefeito José Natalino Paganini (Divulgação)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

A manhã da quarta-feira (23) foi de comemoração no Educandário Nossa Senhora Aparecida, com atividades que marcaram o aniversário de três anos do Projeto Beija Flor, custeado pelo CMDCA (Conselho Municipal de Defesa da Criança e do Adolescente). O projeto teve início em agosto de 2014 e desde então foram mais de 1.000 encaminhamentos realizados, com adesão de mais de 50% das famílias para o acompanhamento psicológico da criança ou adolescente uma vez por semana no contra turno escolar e das famílias, nos grupos, uma vez ao mês.

“No decorrer desse período conseguimos resolver um dos nossos grandes problemas que eram faltas nas reuniões em grupo. Mas infelizmente a outra questão que nos preocupava que é os não comparecimentos à triagem ainda não conseguimos solucionar”, comentou a psicóloga Elaine Bayod Vicentini, coordenadora do projeto.

Atualmente, o projeto conta com quatro núcleos de atendimento: o Educandário Nossa Senhora Aparecida e as Unidades Básicas de Saúde da Vila Ilze, Cubatão e Barão Ataliba Nogueira. Os encaminhamentos são feitos por entidades assistenciais, pelo Fórum local ou pelas secretarias de Educação e Saúde. A estrutura de profissionais é formada por cinco psicólogas e uma assistente social. Uma sexta psicóloga atua de maneira voluntária no projeto.

Na avaliação de Elaine Vicentini, os três anos do Beija Flor trouxeram resultados muito positivos para as crianças e seus familiares. “Sempre que posso vou até os postos de saúde para fazer esse corpo a corpo com a enfermeira responsável e o retorno que eu tenho é que o projeto é muito bem visto. As pessoas que estão sendo atendidas também dão uma devolutiva muito boa. Nos grupos familiares, por exemplo, logo no primeiro encontro eles já conseguem perceber a importância desse trabalho que é desenvolvido”, disse.

Conforme determina o regimento do CMDCA, os projetos podem ser custeados apenas por três anos. Depois disso, é necessário que sejam firmadas parcerias para a continuidade do trabalho. Sobre esse assunto, o prefeito José Natalino Paganini (PSDB) afirmou que não medirá esforços para que o projeto tenha continuidade. “É indiscutível a importância desse projeto para nossas crianças e adolescentes e, portanto, faremos o possível para que não seja interrompido. Estamos colhendo muitos bons frutos graças ao trabalho e a dedicação dessas profissionais que estão em contato direto com esse público e só tenho a agradecer pelo empenho de todos”, agradeceu.