Equipe à frente do projeto participou de evento na capital (Divulgação)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

Um projeto que está sendo desenvolvido pela equipe do CAPSad (Centro de Atenção Psicossocial) – Álcool e Drogas de Itapira foi selecionado para compor a 1ª Mostra RAPS de Experiências Exitosas dos Municípios Paulistas.

O evento ocorrido em São Paulo (SP) na última quarta-feira (5) integrou a programação do 2º Encontro de Desinstitucionalização e Fortalecimento das RAPS (Redes de Atenção Psicossocial) do Estado de São Paulo, com o tema ‘Um Olhar Para o Cuidado’.

Na prática, o evento teve por objetivo promover um espaço de participação e interação entre usuários, trabalhadores da área de saúde mental e gestores do SUS (Sistema Único de Saúde).

A Mostra integrada ao Encontro serviu de palco para a apresentação de trabalhos e projetos em diversos eixos temáticos, todos relacionados à saúde mental e tendo como base os pilares que norteiam o SUS: universalidade, integralidade, equidade e participação social.

O projeto apresentado pelo CAPSad de Itapira foi de encontro ao tema das ações de prevenção e cuidado territorial para pessoas com transtornos decorrentes do uso de substâncias psicoativas.

Batizado de ‘Adolescer com Esperança’ o projeto tem como autores o coordenador do CAPSad, José Antônio Zago, a psicanalista Adriana Rotelli Resende Rapeli, a assistente social Reginal Ramil Marella e o professor e diretor escolar André Augusto Avancini.

O trabalho está focado em uma grande preocupação dos profissionais, identificada a partir do crescimento no número de atendimentos a adolescentes com problemas relacionados ao uso de drogas.

O órgão, originalmente dedicado ao atendimento de adultos, tem recebido mensalmente cerca de 25 indivíduos com idades entre 11 e 17 anos e que chegam com “grandes expectativas e fortes pressões” para serem internados em hospitais psiquiátricos.

O problema é que, em 90% dos casos, esses adolescentes sofrem recaídas após a alta hospitalar. O projeto Adolescer visa justamente criar meios para enfrentar esse problema e buscar soluções que apresentem melhores resultados, envolvendo sociedade civil, órgãos públicos, conselhos municipais, escolas, entidades sociais e outras instituições.

O grupo de trabalho criado em torno da questão tem se reunido junto ao CMDCA (Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente), visando, entre outras propostas, estabelecer um programa para envolver esses indivíduos em atividades diversas para buscar sua recuperação.

No evento em São Paulo, o CAPSad de Itapira foi representado pelo coordenador José Antônio Zago, acompanhado de André Avancini, Regina Ramil e Daniele Witter, também assistente social. Para o próximo ano, o grupo pretende apresentar diversos outros projetos à Mostra Estadual.