Itapira, enfim, foi incluída entre Municípios de Interese Turístico (Itapira News/Agência Soluciona)
Publicidade    
Publicidade - Anuncie aqui

O projeto que classifica a cidade de Itapira como MIT (Município de Interesse Turístico) foi aprovado pela Alesp (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo). O texto tramitava no Parlamento Paulista desde março, quando a documentação que requeria a inserção de Itapira no rol dos MITs foi aprovada pelo Dadetur (Departamento de Apoio ao Desenvolvimento dos Municípios Turísticos).

A aprovação da lei ocorreu na noite da última terça-feira (10). Juntamente com Itapira, outras 45 cidades também foram classificadas como MIT. O projeto que englobou todos os municípios beneficiados é assinado pelos 94 deputados estaduais que compõem o Legislativo – mas desde 2016 um projeto de autoria do ex-prefeito de Itapira, deputado José Antônio Barros Munhoz (PSB), já buscava a classificação local.

Na prática, com a classificação de MIT, o município poderá receber recursos anuais na ordem de R$ 600 mil para investimentos na infraestrutura turística. A utilização da verba deve fomentar a ampliação e o fortalecimento das atividades econômicas da região. “Finalmente Itapira é um Município de Interesse Turístico, reconhecendo legalmente que a cidade tem interesse em se tornar uma estância. É uma legislação muito bem feita, que deu trabalho para ser elaborada, todas as cidades foram muito bem inspecionadas pelo Governo do Estado para que a documentação fosse aprovada”, comentou o parlamentar.

O secretário municipal de Cultura e Turismo, Tiago Fontolan, lembrou que a aprovação de Itapira como MIT foi uma das principais metas desde o início de sua gestão, em janeiro de 2017. “Na verdade, quando assumimos, tínhamos a meta de encontrar caminhos para obter recursos para as áreas da Cultura e do Turismo que não fossem do tesouro municipal. Aí descobrimos essa possibilidade do MIT e soubemos que o deputado Barros Munhoz já havia proposto a classificação. Começamos então um árduo trabalho para dar andamento em toda a documentação, atender as exigências. Foi preciso, inclusive, criar e aprovar o Plano Diretor de Turismo”, destacou. “O sentimento agora é de dever cumprido”, pontuou Fontolan.

Para a responsável pela área do Turismo na Secretaria, Wanella Bitencourt, a inserção de Itapira entre os Municípios de Interesse Turístico no Estado de São Paulo eleva a cidade a um novo patamar, que poderá abrir muitas portas. “Além do recurso financeiro, que é muito importante, a nossa cidade passa a figurar em outro nível na questão do turismo. Ela passa a ser vista com outros olhos por cidades que já possuem turismo ativo. Ganhamos mais acesso, mais valor dentro desta questão. Isso é o resultado de um trabalho longo, árduo e que demandou muita criatividade”, salientou.

Após aprovação do projeto na Alesp, o deputado Carlos Cezar (PSB), líder do Governo na Casa, destacou a importância do programa. “Os MITs são de fundamental importância para geração de emprego e renda das cidades. E é importante observar que mais para frente eles poderão pleitear o título de estância turística e receber uma verba ainda maior para investir no fortalecimento dessa área”, disse.

A deputada Márcia Lia (PT) também lembrou que a proposta vai auxiliar, principalmente, os pequenos municípios. “Os MITs são importantes porque as cidades estão precisando de recursos financeiros para muitas atividades, e este é um recurso extra, um incentivo a mais para melhorar a renda, sobretudo, dos municípios menores”, afirmou.

A presidente da Associação dos Municípios de Interesse Turístico do Estado de São Paulo (Amitesp), Daniela de Cássia Santos Brito, também disse que a medida vai fortalecer as cidades de pequeno porte e com poucos recursos financeiros. “A verba vai fazer com que esses municípios fiquem mais atrativos para receber o turista. E estando mais atrativa, a cidade vai gerar renda, emprego e desenvolvimento”, diz.

Além de Itapira, as outras 45 cidades paulistas que deverão receber o título são: Apiaí, Barbosa, Bofete, Boituva, Cachoeira Paulista, Cesário Lange, Cubatão, Estiva Gerbi, Fernandópolis, Igaratá, Itatiba, Itapura, Itararé, Itaoca, Ituverava, Iporanga, Itápolis, Jacareí, Jacupiranga, Jales, Laranjal Paulista, Mendonça, Miguelópolis, Miracatu, Mineiros de Tietê, Monteiro Lobato, Orlândia, Ouroeste, Panorama, Paraibuna, Pardinho, Patrocínio Paulista, Paulo de Faria, Pedrinhas Paulista, Piracaia, Piratininga, Queluz, Ribeirão Grande, São José do Rio Pardo, São Miguel Arcanjo, Sete Barras, Sertãozinho, Sud Menucci, Torrinha e Ubarana.

MITs

Para que seja considerado de Interesse Turístico, a cidade deve ter atrativos turísticos, serviço médico emergencial, de hospedagem, de alimentação, informações turísticas e abastecimento de água potável e esgoto. A proposta é que além das 70 estâncias já existentes no Estado, outros 140 municípios sejam declarados como de interesse turístico.

No ano passado, 51 cidades já haviam sido classificadas como MITs: Agudos, Altinópolis, Araras, Araraquara, Areias, Barretos, Brodowski, Buritama, Cabreúva, Campina do Monte Alegre, Cardoso, Cruzeiro, Espírito Santo do Pinhal, Guararema, Iacanga, Itapuí, Itupeva, Jaú, Jundiaí, Lençóis Paulista, Limeira, Lins, Martinópolis, Mairiporã, Mira Estrela, Mogi das Cruzes, Monte Alto, Nazaré Paulista, Novo Horizonte, Pedreira, Piedade, Rancharia, Registro, Rifaina, Riolândia, Rosana, Rubineia, Sabino, Sales, Santa Isabel, Santo Antonio da Alegria, Santa Branca, Santa Cruz do Rio Pardo, Santo Expedito, São Simão, Tapiraí, Tatuí, Tabatinga, Tambaú, Uchôa, Votuporanga.