Caminhão somente foi removido por volta das 19h20, via foi liberada momentos depois
Publicidade - Anuncie aqui também!
Caminhão somente foi removido por volta das 19h20, via foi liberada momentos depois
Caminhão somente foi removido por volta das 19h20, via foi liberada momentos depois
Publicidade - Anuncie aqui

A operação de remoção do caminhão que tombou na manhã desta quarta-feira (3) em Itapira demorou quase 10 horas para ser concluída.

O veículo tombou no cruzamento da Avenida Comendador Virgolino de Oliveira com a Rua Comendador Funabashi Tokuji por volta das 9h40, deixando o motorista com ferimentos. Ele foi socorrido pelo SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e, segundo apurado, sofreu fraturas.

O caminhão, contudo, somente foi destombado por volta das 19h20, após um trabalho exaustivo que envolveu tratores e pás-carregadeiras, além de guinchos de grande porte. Como o caminhão, após tombar, ficou encostado em um poste de energia elétrica e na estrutura do semáforo que opera no cruzamento, foi preciso, primeiro, arrastar a carreta para, então, poder destombar o caminhão.

Acidente deixou motorista ferido e provocou danos na rede elétrica
Acidente deixou motorista ferido e provocou danos na rede elétrica

Mesmo após a retirada do veículo, a via ainda permaneceu fechada até por volta das 19h40 para limpeza do óleo e cacos de vidros, feita por uma equipe da Defesa Civil. Após o acidente, funcionários da empresa Penha S/A removeram a carga de caixas de papelão que estava na carreta. O veículo havia acabado de ser carregado e o motorista seguiria com destino ao Estado de Santa Catarina.  O acidente aconteceu quando ele fez a curva para ingressar da Funabashi para a Virgolino, com sentido à Avenida Rio Branco. O caminhão praticamente obstruiu uma das vias da movimentada avenida, que foi interditada entre o acesso da Rua Professor Fenízio Marchini e a Rua Santa Catarina. Por causa disso, o tráfego ficou bastante prejudicado, especialmente nos horários de pico.

O reflexo da interdição pôde ser sentido em diversas outras vias de grande volume de tráfego, como a Rio Branco e a Avenida dos Italianos, além da própria Virgolino de Oliveira em sua extensão pela Vila Izaura. A CPFL (Companhia Paulista de Força e Luz) acompanhou toda a operação, já que a energia na área do acidente precisou ser desligada. Um cabo chegou a ser rompido no momento em que o caminhão atingiu o poste, cuja estrutura também foi danificada. A demora na liberação do local, segundo apurado, teve relação direta com o fato de o caminhão ser segurado – a seguradora ficou responsável pelo envio do guincho para a retirada do veículo. As reais causas do acidente ainda serão apuradas. O nome e a idade do motorista não foram divulgados. O caminhão tem placas de São José dos Pinhais (PR).