Casos de homicídios apresentaram redução, diz SSP (Reprodução)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Casos de homicídios apresentaram redução, diz SSP (Reprodução)
Casos de homicídios apresentaram redução, diz SSP (Reprodução)
Publicidade - Anuncie aqui

A região de Campinas apresentou queda em praticamente todos os principais indicadores de criminalidade nos seis primeiros meses do ano, enquanto as polícias bateram recorde de flagrante de tráfico de entorpecentes em junho e de prisões em ambos os períodos – semestral e mensal.

As informações são da SSP (Secretaria de Segurança Pública) do Estado de São Paulo. No período, os homicídios dolosos tiveram queda de 20,47%. Em números absolutos, os casos passaram de 171 para 136, uma diminuição de 35 casos. O número é o segundo menor já registrado em toda a série histórica, iniciada em 2001.

A queda mais acentuada, nos dois períodos – mensal e acumulado –, foi nos roubos de veículos. Com 910 casos a menos, as ocorrências passaram de 3.509 para 2.599, representado uma queda de 25,93% nos primeiros seis meses. É o segundo menor número da série histórica.

Em junho, a redução foi de 27,83%. Foram 376 casos, ante 521 – 145 a menos. É o menor número para o mês de junho, desde que a série histórica foi iniciada. É a primeira vez que o indicador fica abaixo de 400 ocorrências. Seguindo a tendência de queda, houve redução de 14,37% nos furtos de veículos de janeiro a junho. Foram contabilizados 4.540 casos, uma queda de 762 ocorrências, já que no mesmo período do ano passado foram 5.302 registros.

A redução no semestre possibilitou que o número alcançasse o segundo menor lugar da série histórica. Houve também diminuição de 68 casos de furto de veículo no mês de junho. As ocorrências passaram de 772 para 704, representando 8,81% de queda no período mensal. Os roubos em geral tiveram queda de 2,41% no semestre. Foram registrados 8.313, ante 8.518 em igual período do ano passado, ou seja, 205 casos a menos.

Nos furtos em geral, a queda foi de 4,33% ou 947 casos a menos. Passaram de 21.885 para 20.938. O indicador de estupros também apresentou queda de 7,27%. Com 33 casos a menos, foram 421 ocorrências registradas no primeiro semestre, ante 454, em igual período de 2014. É a terceira queda consecutiva do indicador, no período dos seis primeiros meses.

Em junho, a queda do indicador foi ainda maior. Com redução de 14,1% dos casos, foram 67 estupros, ante 78, contabilizados em junho de 2014, ou seja, 11 a menos. Os casos de extorsão mediante sequestro tiveram queda de 50% no primeiro semestre do ano, em relação a igual período do ano passado. Foram duas ocorrências a menos registradas. Passaram de 4 para 2. Em junho, o indicador se manteve estáveis, sem o registro de ocorrências. É o quinto semestre consecutivo que não houve registro de sequestros em um mês de junho.

Graças a forte atuação das polícias, a região de Campinas bateu recorde de prisões em junho e também no primeiro semestre do ano. O aumento foi de 12,52%. Houve 7.291 casos, ante 6.480, ou seja, 811 a mais. É a primeira vez que o indicador ultrapassa 7.000 prisões. Em junho foram 1.231 ocorrências registradas. No mesmo período de 2014, houve 1.211 prisões, portanto, o aumento foi de 20 ocorrências ou 1,65%.

As polícias bateram, ainda, recorde de flagrantes de tráfico de entorpecentes no mês de junho. Foram registrados 342, ante 328, ou seja, 4,27% a mais, em números absolutos o aumento foi de 14 casos. No semestre, foram 1.957 apreensões de drogas – valor 12,47% maior do que os 1.740 registros do mesmo crime nos primeiros seis meses do ano passado.

Também houve aumento de 1,72% de armas apreendidas no primeiro semestre do ano, em relação a igual período do ano passado. Foram 711 casos, ante 699 – 12 a mais. O aumento desses indicadores representa maior produtividade e inteligência das polícias.