Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

Um exemplo de força, fé, perseverança e muito amor. É assim que familiares e pessoas próximas se referem à professora Rosana Preto, que presidia a Associação Pétalas de Rosas e que faleceu recentemente aos 49 anos.

Ela travava uma luta contra o câncer e estava à frente da associação criada para acolher e dar suporte a outras mulheres em tratamento contra a doença.

Rosana estava passando por sessões de quimioterapia e morreu na segunda-feira (18). “Todos nós da associação víamos ela como inspiração. Uma guerreira que conseguia animar a todas. Somos muito gratas por tudo o que ela fez”, disse a vice-presidente da Pétalas de Rosas, Ivanilde Borges, que agora assumirá a presidência até a próxima eleição, em abril de 2020.

A notícia a morte de Rosana teve grande repercussão nas redes sociais. Milhares de mensagens foram publicadas em sua homenagem, com muitas pessoas destacando a forma com que ela enfrentava as adversidades, sempre com resiliência e muita sensibilidade.

Rosana Preto tinha 49 anos (Divulgação/Arquivo pessoal)

Irmão de Rosana, o enfermeiro Paulo Preto confirma que ela sempre permaneceu perseverante, buscando forças para ajudar muitas pessoas que enfrentavam também as dificuldades impostas pelo tratamento.

“Ela morreu com vida. Permanecerá viva em sua obra. Esteve vibrante e usou sua positividade contra a doença, esse é seu maior legado. Ela lutou até o final, fazia questão de não ficar triste. Recebemos muito carinhos, muitas palavras de apoio, e nossa família tem muito orgulho de ter feito parte da história da Rosana”, afirmou em entrevista ao Itapira News.

“Foi um ser-humano brilhante e muito amoroso e agradecemos a todos. Pedimos a Deus que continue preparando pessoas como ela para ajudar outras pessoas para que esse trabalho que ela desempenhou na associação tenha continuidade sempre”, concluiu.

A irmã Regina também lembrou do simbolismo dos temas das campanhas do Outubro Rosa – mês dedicado às ações de conscientização sobre o Câncer de Mama – no ano passado e neste ano: ‘Viva a Vida’ e ‘Juntas Nós Podemos’. “Nossa irmã gostava muito de viver, sempre com muita fé e esperança. Deixou tudo encaminhado para que possam dar continuação”, frisou.

Quem também reforçou a importância de Rosana no grupo de apoio foi uma das fundadoras da Pétalas de Rosas e sua primeira presidente, Vanda Soriani. “Foi muito bom quando a Rosana ingressou na associação com seu jeito inquieto e sempre ativa. Era uma pessoa de uma alegria contagiante e sempre disposta a ajudar”, frisou.

De acordo com Vanda, as homenagens recebidas pela amiga somente traduziram o quanto ela era querida pela comunidade. “Merecidamente ela recebeu muitas homenagens. Ela lutou bravamente até o fim e este é o maior exemplo que ela deixa a todos e à nossa família Pétalas de Rosas. Se tem algo que nos conforta é saber que agora ela descansa em paz, sem dores, sem angústias, sem preocupações”, comentou emocionada.

Em sua última entrevista concedida ao Itapira News, quando comemorou a grande adesão à Caminhada Outubro Rosa, Rosana destacou sua percepção de que a verdadeira função da Pétalas de Rosas estava sendo compreendida pela sociedade. “Não é simplesmente reunir mulheres que tiveram câncer de mama, mas, sim, apoiar, dar suporte a quem está em tratamento”.