Diretora Célia abre porta da escola após desocupação
Publicidade - Anuncie aqui também!
Benedita Célia durante reunião junto a pais e professores, antes da desocupação Benedita Célia durante reunião junto a pais e professores, antes da desocupação
Benedita Célia durante reunião junto a pais e professores, antes da desocupação Benedita Célia durante reunião junto a pais e professores, antes da desocupação
Publicidade - Anuncie aqui

A diretora da Escola Estadual ‘Elvira Santos de Oliveira’, em Itapira, Benedita Célia Monfredini Andrade, classificou como “uma alegria muito grande” e “uma sensação de alívio” a desocupação da unidade, ocorrida na noite da última terça-feira (1).

Estudantes que estavam na escola desde sábado (28), em protesto contra a reorganização escolar, acabaram encerrando a manifestação. As atividades já voltaram ao normal, com as aulas sendo retomadas na manhã desta quarta-feira (2). “É uma alegria muito grande, uma sensação de alívio, pois tem muitas coisas envolvidas, vidas de professores, de funcionários e de alunos, o fechamento do ano letivo. Os alunos (que estavam na ocupação) não imaginam o quão importante foi essa decisão deles neste momento”, disse a diretora logo após a desocupação, às 21h40.

Apesar de um ato organizado por professores, diretores e pais ter pedido, na tarde do mesmo dia, a liberação do prédio, os alunos somente resolveram sair em decorrência de ameaças criminosas recebidas ao longo do dia. Segundo apurado pela reportagem, um grupo de alunos que não concordavam com a ocupação ameaçou invadir a escola, armados com bombas e facas, por exemplo.

Segundo rumores, os responsáveis pelas ameaças, inclusive, estavam na Praça Mogi Mirim, defronte à escola situada na Santa Cruz, durante a reunião dos pais e professores. A informação chegou a ser repassada à PM (Polícia Militar) e GCM (Guarda Civil Municipal), mas nenhuma viatura foi ao local. Uma bomba chegou a ser jogada dentro da escola e um suspeito de ter promovido o ataque foi detido pelos próprios estudantes e apresentado a policiais militares que chegaram à escola momentos depois. Contudo, como não houve vítimas ou danos, a orientação foi para que um boletim de ocorrência fosse registrado na Delegacia de Polícia.

Estudantes desocuparam escola após receberem ameaças externas
Estudantes desocuparam escola após receberem ameaças externas

A diretora garantiu que não tinha conhecimento das ameaças, e que tomou conhecimento dessa situação pelos próprios alunos durante a reunião. “Não queríamos que fosse dessa maneira, queríamos que fizessem a desocupação em uma ordem de pensamento deles, por justiça aos outros alunos, e não por ameaças. Estamos aqui pra trabalhar na paz e desconhecíamos essa situação que eles próprios nos passaram. Acho que tomaram a decisão certa [de desocupar], pois estavam vulneráveis”, concluiu.

De acordo com ela, o ano letivo, que seria fechado no dia 21, deverá ser estendido em dois dias, terminando no dia 23 de dezembro. As ocupações em Itapira continuam nas escolas Prefeito Antônio Caio, no São Vicente, e Professor Pedro Ferreira Cintra, na Vila Izaura. A escola Professor Cândido de Moura, no Jardim Raquel, também chegou a ser ocupada na semana passada, mas os estudantes desistiram da manifestação na tarde do mesmo dia alegando supostas pressões externas.