Objetivo é dar mais celeridade aos processos (Divulgação)
Mantuan detalhou funcionamento do programa online (Divulgação)
Mantuan detalhou funcionamento do programa online (Divulgação)

Em reunião realizada na noite da última quarta-feira (14), no auditório da Fatec (Faculdade de Tecnologia) ‘Ogari de Castro Pacheco’, a Secretaria Municipal de Obras Planejamento fez a apresentação do programa PlanGED, programa de aprovação digital de projetos arquitetônicos.

Na presença de representantes de empresas do ramo de engenharia e arquitetura, o secretário José Armando Mantuan explicou de maneira objetiva de que modo o sistema irá funcionar.

“Hoje a aprovação de projetos junto à prefeitura é feita através de um processo lento e que exige impressão de várias vias do projeto. Com toda burocracia, interfere diretamente no tempo de aprovação e na criação de arquivos físicos de grande dimensão. O objetivo desse programa é justamente acabar com o papel – e colaborar com o meio-ambiente – e também auxiliar nessa questão do tempo de vazão das demandas”, pontuou.

O PlanGED (Planejamento e Gestão Eletrônica de Documentos) está em fase piloto e é elaborado por dois estagiários da secretaria que são estudantes dos cursos de Gestão da Tecnologia da Informação das Fatecs de Itapira e Mogi Mirim, Mateus Henrique Tofanello e Matheus Henrique da Costa, respectivamente. Eles são orientados pelo coordenador do curso de Itapira, Mateus Guilherme Fuini. “Esse é um projeto que vem sendo desenvolvido ao longo dos últimos meses. Nosso trabalho (da Fatec), é de orientação e apoio aos alunos”, disse o professor.

Objetivo é dar mais celeridade aos processos (Divulgação)
Objetivo é dar mais celeridade aos processos (Divulgação)

No programa, profissional e proprietário da obra poderão ter acesso aos projetos através de um login e senha individual, liberados após cadastro prévio. Enquanto os proprietários das obras podem apenas visualizar o andamento do processo, os profissionais podem cadastrar novos projetos e receber os feedbacks a respeito de possíveis alterações e irregularidades. Se aprovado, cada documentação receberá uma assinatura digital com o mesmo valor do que é feito hoje, em papel. “É uma assinatura semelhante ao que o Judiciário utiliza hoje. Desta forma, o projeto só precisará ser impresso depois de aprovado. E ele ficará arquivado diretamente no sistema, usando toda segurança tecnológica que temos hoje”, afirmou José Armando Mantuan.

Após a apresentação do programa, a arquiteta Flávia Maria Zacchi Robles e os desenvolvedores do PlanGED detalharam cada função do sistema e colheram sugestões e esclareceram dúvidas dos profissionais que estavam presentes. Por se tratar de um projeto em fase de desenvolvimento, ainda não há data exata de quando ele será implantado, mas a previsão é que isso ocorra em três ou quatro meses.

Publicidade - Anuncie aqui