Corpo da criança foi sepultado após quase dois meses do desaparecimento (Paulo Bellini/ItapiraNews)

Enfim, uma despedida digna. O corpo da bebê Ísis Helena foi sepultado na tarde desta quarta-feira (29) no Cemitério Parque Municipal da Paz, em Itapira.

A breve cerimônia reuniu familiares e amigos, além de alguns populares, sob clima de forte consternação.

O pai da criança, Rafael Schotten, carregou o caixão da viatura funerária até o túmulo. Emissoras de TV e outros órgãos de imprensa também acompanharam o sepultamento.

Um dos momentos de maior comoção foi quando Rafael, em uma atitude considerada bastante altruísta e humana, acolheu a bisavó materna de sua filha e a conduziu até a última despedida.

Pai de Ísis, Rafael, acolheu a bisavó materna durante despedida emocionada (Reprodução)

Flores em homenagem à bebê foram enviadas por grupos de voluntários que se mobilizaram durante as buscas ao longo de quase dois meses de angústia e mistério.

O corpinho da criança foi encontrado pela manhã enterrado na região rural das Duas Pontes.

A localização feita pela Defesa Civil de Itapira ocorreu após nova confissão da mãe, Jenifer Natália Pedro, que já tinha confessado a morte da filha.

Ela havia dito, no entanto, que tinha jogado o corpo nas águas do Rio do Peixe, novamente mobilizando as equipes de buscas e de investigação.

Familiares e populares acompanharam cerimônia de despedida (Paulo Bellini/ItapiraNews)
Mantenha-se bem informado: curta nossa página no Facebook, siga-nos no Instagram e também pelo Twitter

O corpo foi removido pela Funerária São Luiz e levado ao IML (Instituto Médico-Legal) de Mogi Guaçu para exames, sendo liberado por volta das 15h30.

Jenifer, que já está presa preventivamente, é acusada de homicídio doloso, ocultação de cadáver e falsa comunicação de crime. O laudo necroscópico deve sair em até 30 dias.

A bebê Ísis Helena desapareceu no dia 2 de março de sua casa. Inicialmente, a mãe disse que teria deixado ela dormindo e saído, não a encontrando ao retornar. As investigações avançaram e ela acabou confessando a morte da menina após ser presa.

De acordo com seu depoimento, a criança morrido durante a madrugada e ela teria ficado com medo de represálias, optando por ocultar o corpo e esconder toda a situação.

Homenagens também foram deixadas na região em que corpo foi encontrado (Paulo Bellini/ItapiraNews)
  • NOVA VERSÃO

O delegado seccional José Antônio Carlos de Souza disse que na tarde da última terça-feira (28) recebeu uma ligação da Penitenciária Feminina de Mogi Guaçu, sendo informado de que mãe da bebê desejava apresentar nova versão sobre o corpo da menina.

Foi aí que Jenifer disse que gostaria de indicar o local em que havia enterrado a bebê. Com as devidas autorizações judiciais, Jenifer foi trazida novamente a Itapira junto dos investigadores, delegados, médico-legista e agentes penitenciários e as buscas ocorreram até o início da madrugada, sem sucesso.

Delegado Seccional, José Antônio, e delegada Edna Salgado Martins, durante coletiva de imprensa (ItapiraNews)

Pela manhã, os trabalhos foram retomados à luz do dia e aí não precisou muito tempo para que o corpo fosse encontrado. “A criança foi enterrada nua, ela (mãe) tirou sua roupa e a fralda, jogou no rio, e a colocou no buraco de barriga para cima”, disse.

O buraco foi cavado com uso de uma colher de pedreiro, que foi exibida pelo delegado durante entrevista coletiva. Ainda segundo o seccional, Jenifer deverá ser transferida brevemente para a Penitenciária Feminina de Tremembé (SP).

Print Friendly, PDF & Email

Publicidade - Anuncie aqui