Cães abrigados na Uipa estão doentes, afirma comissão
Publicidade - Anuncie aqui também!
Parte do grupo interventor, ao fundo missão é recuperar entidade
Parte do grupo interventor, ao fundo missão é recuperar entidade
Publicidade - Anuncie aqui

Depois da intervenção feita pela Prefeitura na Uipa (União Internacional Protetora dos Animais) de Itapira, a comissão provisória que cuida do local pede a ajuda da comunidade para organizar os trabalhos.

Mediante vistorias que confirmaram irregularidades na entidade, o prefeito José Natalino Paganini (PSDB) decretou, na semana passada, a intervenção municipal no local, nomeando uma comissão formada por cinco pessoas para assumir o controle da Uipa em Itapira.

Segundo um dos interventores e diretor municipal de Agricultura e Meio Ambiente, José Alair de Oliveira, o momento agora é de renovação. E para isso, ele e as demais integrantes da comissão, Maria Aparecida de Souza, Regiane Formigari, Vivian Guerreiro e Ana Carolina Moisés dos Santos, pedem a contribuição da sociedade que se solidariza com a causa dos animais abandonados.

“Tudo ajuda neste momento. Precisamos de vassouras, potes para ração e água, medicamentos, produtos de limpeza e higiene, e claro, ração, que felizmente o pessoal já doa bastante”, frisa Maria Aparecida.

Para promover reparos na esfera estrutural, a comissão pede a doação de materiais de construção, como tijolos, areia, pisos, azulejos e principalmente cimento. “A conta da Uipa está zerada, precisamos muito do apoio da comunidade. Também precisamos de mão-de-obra para fazer os serviços, como a reforma do centro-cirúrgico, que está totalmente danificado”, finalizou.

Interessados em ajudar podem entrar em contato pelo telefone (19) 9.9853-9166, falar com Vivian. A comissão também está anotando dados de pessoas interessadas em trabalhar na Uipa, na área de limpeza, devidamente contratadas. Da mesma forma, os interessados devem entrar em contato pelo número informado.

Para ajudar financeiramente, é possível efetuar depósito na 39-5 da agência 0308 (Caixa Econômica Federal).

GRAVES PROBLEMAS

Cães abrigados na Uipa estão doentes, afirma comissão
Cães abrigados na Uipa estão doentes, afirma comissão

Segundo declarações de Oliveira na semana passada, a entidade vive um surto generalizado de sarna e de verminose que atinge os 122 cães abrigados na sede itapirense da Uipa, no Jardim Raquel.

Além dos quadros de sarna e verminose, são aguardados resultados de exames que também podem apontar a presença de mais doenças, como a chamada erliquiose (também chamada de erlichiose) – severa patologia é transmitida por carrapatos. De acordo com Regiane, a comissão já deu início a um processo de vacinação, de castração e de administração de vermífugos em massa.

A intervenção da administração municipal foi decretada no dia 02 deste mês, depois da constatação de diversas irregularidades. O ato, de acordo com o documento assinado pelo prefeito e publicado no Jornal Oficial de Itapira, visa “assegurar melhores condições de atendimento aos animais alojados no local”.

Segundo o texto do decreto assinado pelo prefeito, a decisão de intervir nas atividades da Uipa, que recebe R$ 70 mil em recursos públicos anualmente, partiu depois de uma série de denúncias que culminaram na constatação de irregularidades. “Ao decidir pela intervenção, a administração municipal levou em conta relatório feito durante vistoria não agendada à entidade por representantes da Vigilância Sanitária, do Serviço de Controle de Zoonoses e das secretarias municipais de Agricultura e Meio Ambiente, de Negócios Jurídicos e de Defesa Social”, explica o decreto. Ainda de acordo com o documento, as denúncias mostraram, “através de fotos, várias irregularidades cometidas pela Uipa de Itapira, sendo a principal delas os maus tratos de animais que a mesma tinha como objetivo principal coibir”.

A vistoria surpresa concluiu que o local apresenta falta de higiene e de cuidados com os animais, uso de medicamentos não apropriados e sem a conservação adequada, além de medicamentos vencidos. “Os relatórios da Vigilância Sanitária, do Serviço de Zoonoses e da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente foram conclusivos e taxativos em apontar diversas irregularidades”, informa o decreto. A intervenção, inicialmente, tem duração de seis meses, prazo que pode ser reduzido antes de seu término ou prorrogado por iguais e sucessivos períodos.

Quatro dos cinco interventores nomeados pela Prefeitura irregularidades desencadearam decreto do prefeito
Quatro dos cinco interventores nomeados pela Prefeitura irregularidades desencadearam decreto do prefeito

A intervenção da Prefeitura suspendeu, de forma automática, todos os artigos do estatuto da Uipa de Itapira. O mesmo ocorreu com os dispositivos de seu regimento interno e demais normas administrativas. Com isso, os membros da comissão interventora passam a ser legalmente habilitados para representar a Uipa administrativamente e judicialmente, cabendo a eles toda e qualquer decisão gerencial. Eles também são responsáveis por gerir os recursos destinados à entidade, com autonomia para movimentar contas bancárias e, caso necessário, abrir nova conta sob a designação da Prefeitura; admitir e demitir funcionários e aceitar e recusar voluntários. Ontem, a comissão interventora, com auxílio de voluntários, promoveu um mutirão de limpeza na sede da Uipa. Segundo Maria Aparecida, os próximos passos a serem dados serão definidos depois que todo o processo de limpeza e organização do lugar for concluído.

“Temos um plano de trabalho, e depois que limparmos tudo vamos começar a identificar todas as demandas e verificar o que precisa ser feito em termos de infraestrutura”, frisou a interventora. Uma auditoria também será feita na instituição, para apurar devidas irregularidades relativas à aplicação das verbas públicas cedidas pelo Poder Público Municipal. O procedimento deverá ser conduzido pela comissão, que podem solicitar auxílio à Prefeitura para a realização dos trabalhos. “Não queremos procurar culpados, mas precisamos entender os problemas, saber o que foi feito aqui”, ressaltou Maria. A comissão também quer identificar as dívidas da entidade junto ao comércio local.

“A Intervenção do Poder Público Municipal objetiva garantir o restabelecimento adequado dos serviços de proteção dos animais, bem como garantir um adequado tratamento aos animais existentes na entidade, além de fiscalizar a correta aplicação do dinheiro público empregado na associação através da realização de uma auditoria financeira”, diz o texto do decreto. Até a reorganização das atividades, a Uipa segue fechada, sem liberar doações. Da mesma forma, somente haverá recolha de animais em casos extremos. Até que perdure a intervenção municipal, a diretoria segue suspensa. Depois, é provável que haja nova eleição.