Solange Simionatto – Por que queremos nossa escola aberta?

Escola Antônio Caio, em Itapira, foi a primeira de quatro a serem ocupadas
Escola Antônio Caio, em Itapira, foi a primeira de quatro a serem ocupadas: professora Solange Simionatto diz que movimento traz prejuízos aos alunos.

Em primeiro lugar, gostaríamos de deixar claro que manifestações são importantes e que em nenhum momento não valorizamos o protagonismo juvenil, como muitos estão espalhando por aí. Essas manifestações são importantes, mostram que não estão satisfeitos com alguma coisa e querem mudança, mas ocupar uma escola traz mais prejuízos ao próprio aluno do que ele imagina.

Este aluno que está ocupando a escola mostra no dia a dia o interesse pelo aprendizado? Presta atenção às aulas? Estuda diariamente? Lê jornais e/ou livros sugeridos pelos professores? Não falta? Se a resposta for sim para todas as questões, estaríamos com ele nessa luta por melhores condições de nossas escolas, valorização dos professores etc e tal que todos sabemos.

Mais artigos sobre a reorganização escolar:

Querem mostrar seu descontentamento? Estudem, falem, escrevam para a SEE (Secretaria de Estado da Educação), mostrem que sabem o que estão falando e querendo. Mas ocupar a escola para os professores não ganhar bônus, para o governo não ganhar mais dinheiro (ouvimos este absurdo), para não haver reorganização não é o caminho. Ouvimos também que agora já é final de ano e por isso não tem problema. É uma inverdade, pois muitos alunos estavam fazendo trabalhos, entregando cadernos, além dos professores terem ainda de fechar notas e realizar os conselhos de classe.

Muitas escolas realizam formatura e muitos pais e alunos estavam envolvidos neste processo, como ficará? O prejuízo é só deles, ninguém se importa? Datas já foram marcadas, compromissos fechados, joga-se tudo ao léu? Quem se importa? E os professores que trabalharam duro o ano todo preparando o aluno, com o maior esforço, para o cumprimento do currículo e também a realização do Saresp (Sistema de Avaliação do Rendimento Escolar de São Paulo)? Pensou-se em quem é professor que realmente faz o que pode para dar o seu melhor em sala de aula nos dias de hoje? Porque sabemos que boa parte dos alunos está desinteressada e muito mais preocupada em usar o celular, namorar e usar a escola como clube.

Todos os envolvidos no ambiente escolar trabalham para o aluno, mas a escola não é formada apenas de alunos e professores. E o pessoal da limpeza, os agentes escolares, os coordenadores, o Professor Mediador, o Gerente Administrativo e a Direção? Ficam amarrados, com prazos de entrega de notas, certificados, prestações de contas em aberto. Alguém pensou que estão impedidos de trabalhar e isto fere o direito de toda pessoa de ir e vir onde quiser. Direitos e deveres estão sendo desrespeitados.

Bonito ver as escolas com alunos e professores na ocupação em atividades culturais. Entretanto seria mais bonito ver esta dedicação aos eventos culturais no dia-a-dia do ambiente escolar e não apenas para um pequeno número de alunos, como temos visto estes dias. E os outros alunos? Simplesmente nem todos concordam com a ocupação e privou-se o direito deles de irem à escola, mesmo que nestes dias de ocupação foram feitos convites abertos à comunidade.  A escola é de todos e não apenas de um grupo. Então que cada um cumpra o seu papel que lhe cabe. Isso sim é direito de todos. Devolvam nossa escola, urgente!

* Solange Simionatto é professora da rede estadual em Itapira.