Escola Cândido de Moura, na região do Jardim Raquel (Itapira News)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

Diversas mensagens divulgadas nas redes sociais com supostas ameaças de ataques em escolas de Itapira provocaram medo na população e afetaram o funcionamento das unidades.

O assunto ganhou repercussão na manhã desta quarta-feira (20) especialmente nas redes sociais, gerando reações preocupadas de pais e familiares de estudantes.

A situação acontece exatamente uma semana após o massacre promovido por dois alunos na Escola Estadual ‘Raul Brasil’, em Suzano (SP). Nos últimos dias, várias outras cidades também registraram casos semelhantes envolvendo ameaças de ataques e até detenções de adolescentes que teriam divulgado as mensagens.

Em Itapira, as supostas ameaças começaram a circular na última terça-feira (19). Nesta quarta-feira, a Escola Estadual ‘Cândido de Moura’ foi uma das que ficou sem aula no período da manhã em razão de citações nas mensagens ameaçadoras.

Embora as atividades não tenham sido oficialmente suspensas, o temor fez com que pais fossem orientados a não mandar seus filhos à escola. A reportagem esteve no local e confirmou a situação.

A Secretaria de Estado da Educação, porém, afirmou que não há suspensão de aulas em nenhuma unidade do município, informação que conflita com a verificação in loco da reportagem. Outras escolas, como a ‘Antônio Caio’ e a municipal ‘João Simões’ também teriam sido mencionadas em supostas ameaças, mas segundo apurado pela reportagem não sofreram quaisquer alterações em seus atendimentos.

As forças policiais de Itapira também intensificaram o patrulhamento das equipes de Ronda Escolar. Em nota, a Prefeitura destacou que está empenhada na elaboração de estratégias para reforçar a segurança das escolas.

A Secretaria Estadual de Educação também remeteu nota ao Itapira News no final desta manhã e disse que a Diretoria Regional de Ensino de Mogi Mirim acionou a Polícia Militar ao tomar conhecimento das mensagens.

“As aulas nas unidades da rede estadual ocorrem normalmente. Cabe reiterar que a Secretaria da Educação do Estado possui parceria com a Ronda Escolar da Polícia Militar para policiamento no entorno das unidades. As escolas estão à disposição dos pais e alunos para quaisquer dúvidas ou esclarecimentos”, destacou nota da

A pasta também informou que as origens das mensagens estão sendo investigadas. A Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo também remeteu nota ao portal. “A Polícia Militar intensificou as ações de policiamento preventivo já existentes no entorno do perímetro escolar. Além da Ronda Escolar, que já mantém contato com a direção dos estabelecimentos de ensino, os demais programas de patrulhamento como Rocam, Força Tática, radiopatrulhamento e comunitário estão com a atenção voltada aos chamados por instituições de ensino. A Polícia Civil informa que, até o momento, não localizou registros dos casos mencionados pela reportagem.”

A secretária municipal de Educação de Itapira, Maria Elizabeth Brianti de Melo, disse que a pasta já orientou as diretoras das unidades escolares. “Foram informadas para ficarem atentas a pessoas estranhas rondando as escolas, manterem portões fechados e entrar em contato com a Guarda Civil Municipal ou Polícia Militar em caso de qualquer anormalidade”.