Sucesso: ciclo iniciado em abril terminou com apresentação de Flávia deSena no último domingo (Leo Santos/Megaphone)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Sucesso: ciclo iniciado em abril terminou com apresentação de Flávia deSena no último domingo (Leo Santos/Megaphone)
Sucesso: ciclo iniciado em abril terminou com apresentação de Flávia deSena no último domingo (Leo Santos/Megaphone)
Publicidade - Anuncie aqui

do Megaphone Cultural

A temporada 2016 do Projeto Coreto foi encerrada na manhã do último domingo (4) no Parque Juca Mulato. O evento promovido pela Casa das Artes fechou um ciclo de mais de 10 shows gratuitos com apresentação da cantora Flávia DeSena, cujo repertório envolveu, basicamente, interpretações de clássicos da MPB (Música Popular Brasileira) e do Samba.

A última edição começou às 10h00 e foi encerrada por volta de 11h15, mobilizando perto de 120 pessoas. “A Flávia foi muito aplaudida, atendeu pedidos do público e foi muito elogiada por sua bela voz. Encerrou essa temporada em grande estilo”, analisou a diretora de eventos da Casa das Artes, Josiane Moraes.

Na prática, o Projeto Coreto tem por objetivo resgatar e fomentar a frequência familiar em apresentações musicais de qualidade no coreto do Parque Juca Mulato. A ideia é democratizar o acesso à música, popularizando, principalmente, as apresentações instrumentais, sempre gratuitas e abertas ao público em geral.

O ciclo de apresentações neste ano começou em abril, inicialmente seguindo o formato original que previa uma edição por mês. Contudo, atendendo aos pedidos do público, a partir de setembro o Projeto Coreto teve sua frequência ampliada para duas edições mensais. Para o maestro César Lupinacci, diretor artístico da associação cultural, a temporada deste ano reafirmou o sucesso da iniciativa. “A avaliação é extremamente positiva. Neste ano, a própria demanda de público fez diminuir o tempo entre uma apresentação e outra nos últimos meses. Passamos a ter edições quinzenais para atender muitos espectadores que manifestaram esse desejo. Todos os artistas e grupos que se apresentaram realmente se doaram ao projeto, isso é muito bacana”, comentou. Ao longo de todas as edições, a média de público se manteve entre 100 e 150 pessoas a cada apresentação.

Para Lupinacci, a boa adesão também demonstra que o projeto está crescendo. “Boa parte do público já é formada por rostos conhecidos, vão em todas as edições. Aos poucos, vai chegando mais gente, o que demonstra que os objetivos estão sendo atingidos, que é o de fomentar a atenção à música em apresentações ao ar livre, em um espaço tão bonito como o Parque Juca Mulato”, concluiu. A temporada atual começou em abril. Ao longo do cronograma, o Projeto Coreto ofertou apresentações de grupos internos da instituição organizadora – como a Banda da Casa das Artes, a Orquestra de Viola Caipira e os grupos de Choro e de Sax – além de artistas locais e de outros municípios. Passaram pelo Coreto, neste ano, nomes como Marco Aurélio Trio, Tom Curti com Luís Giovelli e Dinoel Gandini, o trio Celina Charlier, Marcio Miele e Fábio Pellegatti com o projeto Clássicos Populares & Populares Clássicos, Mônica Martelli Carpi, Coral Madrigal Voxxes e a Unicamp Cello Ensemble – Orquestra de Violoncelos. De acordo com Lupinacci, a ideia é manter o projeto no ano que vem. A temporada também deve começar em abril.