Ônibus poderão parar a partir de terça, como já ocorreu no ano passado (Arquivo)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Ônibus poderão parar a partir de terça, como já ocorreu no ano passado (Arquivo)
Ônibus poderão parar a partir de terça, como já ocorreu no ano passado (Arquivo)
Publicidade - Anuncie aqui

Os usuários do transporte coletivo urbano em Itapira poderão ser surpreendidos, na próxima terça-feira (14), com uma greve dos motoristas e cobradores da Viação Itajaí.

A informação foi confirmada pelo Sindicato dos Condutores de Mogi Guaçu e Região, que decidiu pela paralisação junto a representantes da categoria em assembleia ocorrida na madrugada de sexta-feira (10), na porta da empresa.

A medida tem por objetivo pressionar a concessionária a conceder reajuste na ordem de 12%, mais vale-alimentação de R$ 210,00 mensais, substituindo assim a cesta-básica que atualmente é fornecida.

Segundo o presidente da entidade sindical, Gessy Alves de Oliveira, a greve somente não acontecerá caso a Itajaí conceda o aumento e o benefício até a meia-noite de terça. “Se isso não acontecer, entraremos em greve”, avisou. “A nossa convenção coletiva determina a concessão de vale-alimentação com crédito em cartão magnético. Desde abril cobramos o reajuste e o vale-alimentação da Viação Itajaí, que não dá qualquer resposta ao Sindicato e a seus funcionários”, comentou Oliveira.

De acordo com ele, a assembleia ocorrida às 4h00 reuniu perto de 25 profissionais que atuam nos ônibus circulares em Itapira. A empresa foi comunicada, mas não enviou representantes para acompanhar o ato. “Começamos a pleitear (o reajuste e o benefício) em abril e até agora nada. A empresa diz que não tem condições e não mandou ninguém (na assembleia) pra tentar negociar. Ficamos até ofendidos com isso, é fazer pouco caso dos trabalhadores e do Sindicato”, reclamou o sindicalista.

Em julho do ano passado, os profissionais que atuam nas linhas urbanas do município cruzaram os braços por duas horas, concentrando-se na Estação Rodoviária. Com respaldo de sindicalistas, eles cobraram reajuste de 8%, ameaçando entrar em greve caso a reivindicação não fosse atendida. A situação era semelhante à evidenciada agora. Segundo comentou Oliveira na ocasião, a empresa se negava a conceder o aumento sem que antes a Prefeitura autorizasse o reajuste tarifário. Contudo, uma semana após a paralisação e na iminência de greve geral dos funcionários, a Itajaí cedeu e concedeu o aumento requerido, mesmo sem aumento da tarifa.

Em setembro, contudo, a Câmara Municipal autorizou a Prefeitura a fornecer subvenção econômica à empresa, na ordem de R$ 94 mil, para evitar que o preço da passagem fosse elevado até o final do ano. A medida surtiu efeito, mas a partir de janeiro deste ano os usuários do transporte coletivo acabaram sentindo o reajuste no bolso, com aumento de 12,7% na tarifa da catraca, que saltou de R$ 2,75 para R$ 3,10.

Agora, o sindicalista garante que a única chance da greve não acontecer é a empresa conceder o reajuste, que deve ser anunciado até meia-noite de terça-feira. “Se a empresa não chegar com o reajuste, a partir deste horário já estaremos em greve por tempo indeterminado”, avisou. A reportagem cobrou uma posição da Viação Itajaí, cuja assessoria de imprensa não retornou com qualquer posicionamento.