Região do Cubatão, em Itapira: clima seco causa danos à saúde
Publicidade - Anuncie aqui também!
Região do Cubatão, em Itapira: clima seco causa danos à saúde
Região do Cubatão, em Itapira: clima seco causa danos à saúde
Publicidade - Anuncie aqui

O clima seco ocasionado pela falta de chuvas fez com que a umidade relativa do ar atingisse níveis alarmantes nos últimos dias. Mesmo com rápidas pancadas de chuva em alguns pontos do município, na tarde de terça-feira (26), a situação não melhorou. Pra piorar, o volume de queimadas nessa época de estiagem também aumentou consideravelmente, tornando a qualidade do ar ainda pior.

No domingo (24), a Prefeitura chegou a emitir alerta quando a umidade relativa do ar chegou a 13%, por volta das 12h00. Às 15h00, a situação ficou ainda mais grave, com índice que atingiu 11%, colocando o município em situação de emergência, conforme a escala de criticidade definida por órgãos competentes. Os dados são do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), que mantém uma estação automática na região da Usina Nossa Senhora Aparecida.

Os índices baixos prosseguiram durante os períodos vespertinos dos últimos dias. Principalmente entre o início e o final da tarde, as medições apontaram para percentuais entre 13% e 19%. Na tarde de terça, a ameaça de chuva com forte ventania ajudou a elevar a condição, mas não mudou muito o quadro geral, com a umidade subindo para 25% às 18h00. Mesmo assim, durante a madrugada, o percentual não passou da casa dos 70%. Ontem à tarde, às 17h00, a umidade era de 30%.

SAÚDE

A umidade relativa do ar é a relação entre a quantidade de água existente na atmosfera e a quantidade que poderia haver diante da mesma temperatura.

A baixa umidade relativa do ar já pode causar problemas de saúde, principalmente respiratórios. Quando o índice fica inferior a 30%, por exemplo, alergias, sinusites, rinites, armas e outras doenças do aparelho respiratório tendem a se agravar devido ao ressecamento de mucosas. Pode ocorrer, entre ouros problemas, sangramento pelo nariz, ressecamento da pele e irritação dos olhos.

De acordo com o Cepagri (Centro de Pesquias Meteorologicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura) da Unicamp (Universidade de Campinas), a escala de criticidade do problema estabelece que a umidade entre 21% e 30% coloca a região afetada em estado de atenção. Nesse patamar, é preciso evitar a prática de exercícios físicos ao ar livre entre 11h00 e 15h00, além de permanecer em locais protegidos do sol e, de preferência, em áreas vegetadas.

Umidificar o ambiente com uso de vaporizadores ou de toalhas molhadas, recipientes com água e molhamento de jardins também são dicas importantes. Entre 12% e 20%, ocorre o estado de alerta. Além de manter as recomendações do estado de atenção, é necessário suspender os exercícios físicos e trabalhos ao ar livre entre 10h00 16h00, bem como evitar aglomerações em ambientes fechados e usar soro fisiológico para umedecer olhos e narinas. Como ocorrido em Itapira, no domingo, quando a umidade relativa do ar fica abaixo de 12% é decretado o estado de emergência.

Neste caso, também são mantidos as recomendações dos estados anteriores, além de manter úmidos ambientes internos, em especial quartos de crianças e hospitais, além de determinar a interrupção de qualquer atividade ao ar livre, bem como aglomeração de pessoas em recintos fechados entre 10h00 e 16h00. Em caso de sintomas oriundos do ar seco, um médico deve ser consultado imediatamente.