Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

Assim como no caso dos familiares, ninguém gosta também de pensar no momento da morte de um animalzinho de estimação. Isso é um fato. Mas é fato também que essa hora vai chegar para todos, inclusive para os pets que em vários casos conviveram muitos anos com a família.

Não é nada agradável, mas é preciso tomar providências também no sentido de sepultar o corpinho do animal ou destinar à incineração em locais especializados. Em Itapira ainda não há um cemitério para animais, mas a preocupação de se ter um cuidado maior na entrega do corpo do animal aos donos para que providenciem o sepultamento já vem se tornando tendência.

A Clínica Xodó, por exemplo, é pioneira a adotar um procedimento diferente e mais “carinhoso” na hora de entregar os cães adoecidos, levados para tratamento veterinário, mas que infelizmente não resistiram e acabaram morrendo.

Trata-se de uma urna funerária confeccionada em papelão que tem por objetivo reduzir o choque e de alguma forma tornar menos doloroso o momento da despedida. “Há muito tempo estudávamos uma alternativa para não entregar mais os corpinhos dos animais a seus tutores dentro de sacos plásticos, que geralmente são de cor escura e ficam parecendo sacos de lixo”, comenta a empresária Sheila Domingues, sócia-proprietária da Clínica Xodó.

Sheila e Rodrigo, da Clínica Xodó: maior cuidado e carinho no momento de despedida

Foi justamente pensando em “suavizar” este momento em que os donos vão buscar o corpinho do animal que a Clínica Xodó entrou em contato com a empresa São Judas Tadeu Embalagens, também situada em Itapira, e solicitou o desenvolvimento da urna com base em modelos já existentes no mercado nacional. A matéria-prima usada na caixa também é biodegradável.

“É uma opção que dá outra conotação ao ato de entregar o corpo do pet aos donos. Nós sempre tentamos tornar esse momento menos doloroso, inclusive entregamos uma flor à pessoa que vem buscar o animal. Agora temos mais essa alternativa, que é um carinho maior neste momento”, explica Rodrigo.

Vale ressaltar que, ao menos de acordo com a política da Clínica Xodó, a urna não se trata de um produto comercial, a ser ofertado e vendido. “Apenas empregamos estas urnas nos casos de mortes de cães que estavam na clínica para entrega de uma forma mais bonita aos donos, e não mais em sacos plásticos”, acrescenta Sheila.

Outro ponto importante é que, embora a Clínica Xodó tenha sido pioneira neste assunto, a urna não foi confeccionada com exclusividade – ou seja, pode ser encomendada também por outras empresas do setor para que possam oferecer o mesmo cuidado aos clientes.

  • MOMENTO DE LUTO
A psicóloga Paola Vicente (Divulgação)

Para a psicóloga e Coach Internacional Paola Vicente, a entrega do corpo do animal em um compartimento especialmente pensado para esta finalidade pode fazer toda a diferença no momento de luto enfrentado pela família.

“Esta forma de agir, entregando na caixa de papelão, traz a sensação de um lugar para o animal, o que facilita a aceitação. É uma correlação com o lugar de um humano que se vai, o caixão, e também com a aprovação de que sentir a dor que ela está sentindo é permitido. Realmente é importante, é uma impressão diferente de quando é entregue em um saco”, explica.

Empresas interessadas em obterem os modelos podem manter contato com a São Judas Tadeu pelo e-mail [email protected] , pelos telefones (19) 3813-2824 e 9.8300-3700 (WhatsApp). A empresa fica na Avenida Governador Mário Covas, 245.