Fêmeas bovinas e bubalinas devem ser vacinadas até dia 31 (Divulgação)
publicidade - anuncie aqui

A vacinação contra a brucelose prossegue em todo Estado de São Paulo até dia 31 de maio. Os pecuaristas devem imunizar fêmeas bovinas e bubalinas com idade entre três e oito meses.

O prazo para declaração da aplicação da vacina vai até 7 de junho no sistema de Gestão de Defesa Animal e Vegetal (Gedave) da Coordenadoria de Defesa Agropecuária da Secretaria de Agricultura e Abastecimento.

A brucelose bovina é uma doença que se caracteriza por problemas reprodutivos como abortamento no terço final da gestação. A ocorrência causa prejuízos econômicos e depreciação do valor social da propriedade devido à diminuição da produção de carne e leite, do aumento do intervalo entre partos e da queda da taxa de natalidade da espécie.

Além disso, é uma doença de notificação obrigatória ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e também para a OMSA (Organização Mundial da Saúde Animal).

A vacinação contra a brucelose das fêmeas bovinas e bubalinas é obrigatória, com exigência da administração de uma dose ao longo da vida do animal. A imunização de machos é proibida.

Para manter e preservar o rebanho, a Defesa Agropecuária atua de diversas maneiras, sendo elas a obrigatoriedade da vacinação de fêmeas bovinas e bubalinas contra a brucelose; abate sanitário ou eutanásia de animais acometidos pela doença; exigência de atestado de exames para brucelose e tuberculose para o trânsito de animais destinados à reprodução ou para participação em feiras, exposições, leilões e provas esportivas como rodeios, além de medidas voluntárias como a certificação de propriedades livres.

Além disso, também é responsável pela realização de inquéritos epidemiológicos para determinar a prevalência da doença no estado de São Paulo.

Print Friendly, PDF & Email
Publicidade - Anuncie aqui