Segundo Prefeitura, programação conta com apoio “espontâneo” dos pais (Divulgação)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Segundo Prefeitura, programação conta com apoio “espontâneo” dos pais (Divulgação)
Segundo Prefeitura, programação conta com apoio “espontâneo” dos pais (Divulgação)
Publicidade - Anuncie aqui

A Secretaria Municipal de Educação informou que a programação em alusão ao Dia das Crianças nos CEIs (Centros de Educação Infantil) e EMEBs (Escolas Municipais de Educação Básica) está sendo financiada com a “ajuda espontânea dos pais” e verba da APM (Associação de Pais e Mestres).

O assunto está relacionado ao polêmico cancelamento do evento ‘Criança no Parque’, realizado desde 2013 no Parque Juca Mulato, mas cuja edição deste ano não será realizada por falta de verba e impedimentos legais, segundo a Prefeitura. Ao anunciar que as escolas e centros abrigariam programação dedicada ao “mês das crianças”, a administração municipal acabou recebendo novas críticas em que pais de alunos afirmaram que precisaram fazer contribuições em dinheiro para que as atividades ocorressem.

A informação sobre o pedido de contribuição aos pais, que não havia sido divulgada pela Prefeitura na semana passada, foi confirmada ao Itapira News nessa segunda-feira (10). “As mães estão tendo que ajudar para a escolinha fazer uma festinha nos dias das crianças”, escreveu uma internauta. “Tenho duas crianças e colaborei com a creche para a festinha da minha filha e vou pagar o cinema pro meu filho poder ir”, escreveu outra mulher.

Em nota, a Secretaria Municipal de Educação confirmou que as atividades não serão pagas com o orçamento próprio da pasta e esclareceu que “toda a programação especial das escolas foi elaborada em parceria com os pais e responsáveis dos alunos, que participaram de reuniões, ouviram e deram propostas de atividades comemorativas ao mês da criança” e que “a preocupação dos educadores foi de manter a programação que sempre ocorria em anos anteriores e, de modo semelhante ao que ocorre hoje, com utilização de verba disponível da APM (Associação de Pais e Mestres) a ajuda dos pais para a realização de atividades diferenciadas e que valorizem o desenvolvimento cultural e social das crianças”.

Ainda segundo a pasta municipal, “dentre as ideias propostas em reuniões estavam a ida ao cinema, locações de brinquedos infláveis e outras atividades que demandavam custos adicionais e tudo foi colocado e discutido em reunião com pais e responsáveis que optaram ou não em incluir tais ações no cronograma”. “A Secretaria Municipal de Educação enaltece o empenho dos professores e diretores que, em um momento de crise, se esforçaram para incorporar ao cronograma escolar pré-estabelecido atividades que auxiliem não apenas no desenvolvimento intelectual das crianças, mas também o cultural e o social, fomentando a interação entre os alunos. Da mesma forma, a pasta destaca o papel dos pais, que ajudaram para que essas atividades diferenciadas pudessem ser colocadas em prática”.

De acordo com a Prefeitura, as ações envolvem ainda passeio de trenzinho, atividades como pintura facial, gincanas, desfile de fantasias, piquenique no Parque Juca Mulato, exposições, narração de histórias, teatro, apresentação do Canil da Guarda Civil Municipal, oficina de artes, apresentação de palhaços, Dia do Karaokê, rodas de músicas, dança e teatro de fantoches.