Beth Manoel acusou prefeito de tentativa de agressão e ofensas em vídeo (Reprodução)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

A vereadora Beth Manoel (PSL) fez uma representação na Procuradora Especial da Mulher da Câmara Municipal contra o prefeito José Natalino Paganini (PSDB), depois de uma discussão ocorrida no Almoxarifado Municipal, na última quarta-feira (30).

Segundo a parlamentar, ela também teria sido “quase agredida” pelo chefe do Executivo, que nega a acusação. O desentendimento ocorreu quando a vereadora conversava com o secretário municipal de Serviços Públicos, Paulo José Vieira, para apresentar demandas da população, segundo informado por ela.

Em um vídeo publicado em seu perfil no Facebook, Beth Manoel diz que Paganini se alterou com sua presença e passou a ofendê-la, questionando quem tinha autorizado-a a se reunir com o secretário. “Conversei com alguns servidores e o secretário me chamou, eu entrei em sua sala e ele me atendeu muito bem. Depois entrou o Paganini e começou a gritar com o secretário e comigo, me xingou”, relatou.

A vereadora ainda afirma que o prefeito teria chamado-a de “vagabunda”. “Quando ele disse isso, eu levantei para fechar a porta, e aí outro funcionário segurou o prefeito para ele não bater em mim. Mas este mesmo funcionário também me ofendeu”, disse.

A vereadora acionou a advogada Maíra Calidone Recchia Bayod para ingressar com ações judiciais. “Fiz o boletim e procurei a minha advogada, vão ser processados, o prefeito e o funcionário. E fiz também representação na Procuradoria da Mulher”, frisou. Embora tenha ido também à DDM (Delegacia de Defesa da Mulher) para registrar o caso, a vereadora não chegou a formular o boletim de ocorrência.

  • OUTRO LADO

Em entrevista a um jornal local, Paganini negou que tenha se exaltado, ofendido a vereadora e agido com truculência. “Recebi uma ligação do Almoxarifado informando que a Beth Manoel estava fazendo um tipo de reunião lá. Naquele estilo de falar mal do prefeito, com uma conduta meramente política. Eu fui lá e perguntei se ela havia marcado hora para falar com o secretário”, afirmou.

“Não houve iniciativa de agressão e eu nem vi esse outro funcionário que ela cita. Ela se alterou e o secretário pediu calma, não houve nenhuma ofensa da minha parte. O que eu disse é que está na hora de descer do palanque e trabalhar”, argumentou o prefeito.

  • REPERCUSSÃO

O caso gerou grande repercussão nas redes sociais, com críticas pesadas ao prefeito na postagem da vereadora. Em seu perfil também na rede social, o vereador Rafael Lopes (PROS) saiu em defesa da colega de bancada. “Ela foi pedir coisas em prol do povo. E humilhar secretário, um dos mais sensatos dessa administração, é querer mostrar autoritarismo. Humilhar as pessoas em público é para os que fraquejam, os covardes”, escreveu. A Prefeitura não se manifestou oficialmente sobre o ocorrido.

Assista abaixo o vídeo publicado pela vereadora Beth Manoel sobre o episódio.