Representantes do SAMU conversaram com parlamentares em Itapira (Divulgação)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

O coordenador regional do SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), Wagner Tadeu Cezaroni, participou de uma reunião com os vereadores que compõem a atual legislatura da Câmara Municipal de Itapira.

O encontro aconteceu na noite da última terça-feira (23), antes da sessão ordinária, e teve por objetivo discutir “demandas da população itapirense em relação ao atendimento”, segundo a assessoria do Poder Legislativo, além de “sugestões para otimização do sistema”.

Além de Cezaroni, também estiveram presentes o coordenador médico do SAMU da Baixa Mogiana, David Zuin, e o líder de Comunicação Rodrigo Domingos. “Na ocasião, os vereadores puderam também compreender melhor o dia a dia dos agentes, bem como a estrutura de trabalho do SAMU Regional da Baixa Mogiana, conforme os parâmetros estabelecidos pelo Ministério da Saúde”, destaca a assessoria da Câmara.

A Central de Regulação do SAMU que atende Itapira fica em Mogi Guaçu, abrangendo ainda o serviço nas cidades de Mogi Mirim e Estiva Gerbi, além do próprio município guaçuano. A população total atendida pelo SAMU da Baixa Mogiana é estimada em 350 mil pessoas.

Entre as principais queixas comumente manifestadas pelos cidadãos está o tempo de espera entre o acionamento e a chegada da ambulância. Muitas pessoas atribuem esse problema justamente ao fato da Central de Regulação se concentrar em uma só das cidades que compõem a área de abrangência do SAMU Regional.

Os representantes do órgão saíram da reunião com a incumbência de estudarem as sugestões e opções de melhoria no atendimento, mas a Câmara não detalhou quais foram as demandas apresentadas aos coordenadores.

Atualmente, Itapira possui duas ambulâncias do serviço – uma de suporte básico, tripulada por um condutor-socorrista e por um técnico de enfermagem, que atende casos menos complexos, mas que possui equipamentos básicos de suporte à vida.

A outra é de suporte avançado, tripulada por um condutor-socorrista, um enfermeiro e um médico. É considerada uma UTI Móvel, capaz de atender casos mais graves como os procedimentos invasivos, tais como: intubação, drenagem torácica, partos, doenças cardiovasculares graves, infartos e arritmias. É equipada com aparelhos de alta tecnologia.

Ainda durante o encontro, dados referentes ao município de Itapira foram repassados aos vereadores. Em 2018, foram registrados 5.031 chamados, entre solicitação de ambulância, ocorrências e transferências de pacientes. No primeiro trimestre de 2019, já foram registrados 1.218 chamados.