Lopes assina emenda que favorece benefícios estudantis (Divulgação)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

A Câmara Municipal de Itapira derrubou os vetos do prefeito José Natalino Paganini (PSDB) à emenda parlamentar de R$ 580 mil que prevê o retorno dos programas estudantis de subsídio do transporte universitário e do Cursinho Pré-Vestibular Gratuito.

A votação favorável foi unânime. Dias antes, representantes de estudantes apelaram aos parlamentares para que mantivessem os recursos destinados aos benefícios, conforme noticiado pelo Itapira News.

A emenda de autoria do vereador Rafael Donizete Lopes (PROS) foi aprovada juntamente do Orçamento Municipal, mas vetada pelo chefe do Executivo. A derrubada do veto aconteceu em sessão extraordinária realizada na tarde de sexta-feira (23).

Todas as sete emendas ao Orçamento foram vetadas pelo prefeito, entre elas a que direcionava recursos na ordem de R$ 1 milhão para abertura de mais três leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) no Hospital Municipal, e a de R$ 1 milhão para reforma, ampliação e manutenção de prédios escolares – ambas também de autoria de Lopes.

Do total de vetos, somente dois foram derrubados – o da emenda para o cursinho e subsídio e outro aplicado a uma emenda para reserva de R$ 40 mil para aquisição de uma ensiladeira e vagão, de autoria de Dirceu de Oliveira (PMDB). As demais foram excluídas do texto definitivo da peça orçamentária a vigorar em 2019.

  • CONFUSÃO

A sessão extraordinária foi bastante tensa, com direito a presença de representantes de estudantes que exibiram cartazes para pressionar os vereadores e sacos de lixo que simbolizaram presentes natalinos por conta dos vetos.

Quase ao término da sessão, o clima esquentou e um bate-boca envolveu os vereadores Beth Manoel (PSL) e Carlinhos Sartori (PSDB) e quase descambou para agressão, com ânimos mais exaltados por parte do esposo da vereadora Professora Marisol, Nilson Raposo, que teria ameaçado Beth, despertando reações de parte do público presente, inclusive de outras mulheres.

Ele precisou ser levado à área administrativa do Legislativo até que a situação se acalmasse. O episódio chegou à Delegacia de Polícia com registro de boletins de ocorrência. Beth apresentou queixa contra Carlinhos Sartori, por ofensas, e contra Raposo, por injúria e, segundo ela, ter lhe empurrado.

Raposo também foi à Delegacia junto de sua esposa vereadora e registrou boletim de ocorrência contra o suplente de vereador do PSL, André Siqueira, por ameaça – ele era uma das pessoas presentes ao plenário e que se envolveu na confusão. Após a sessão extraordinária, a Câmara Municipal entrou em recesso. As sessões ordinárias retornam na primeira semana de fevereiro.