publicidade - anuncie aqui

A jovem de 25 anos vitimada por um brutal ataque na Praça Bernardino de Campos, região central de Itapira, no dia 3 de maio, enfim recebeu alta médica e voltou para casa, felizmente já quase totalmente recuperada dos graves ferimentos que sofreu.

A moça, cuja identidade continuará preservada, permaneceu 18 dias internada, sendo 10 na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Municipal, e voltou para casa no início da tarde da última segunda-feira (22).

Casada e mãe de um casal de crianças com idades de 6 e 7 anos, ela falou com exclusividade com a reportagem do Itapira News na manhã desta quarta-feira (23), tendo como principal objetivo agradecer a todos que se preocuparam e se mobilizaram em orações e mensagens de apoio.

“Agradeço a todos que oraram por mim e que se preocuparam de verdade, percebi que gerou uma grande mobilização na cidade e recebi muitas mensagens positivas e orações tanto de pessoas católicas quanto de evangélicos, fiquei muito feliz com tanto carinho recebido”, disse.

Ao pedir ao jornalista que não deixasse de “colocar o agradecimento pelas orações”, ela também manifestou profunda gratidão pela equipe do Hospital Municipal – desde os médicos, passando pela enfermagem até o pessoal do apoio.

“Desde o primeiro dia todos foram muito atenciosos comigo e com minha família. Os médicos, as enfermeiras, o pessoal da cozinha, da limpeza, da lavanderia, enfim, todos mesmo. Não tenho nem palavras para agradecer”, afirmou.

Ela também fez questão de agradecer ao Senac (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial), instituição na qual participava de um curso e onde se abrigou e recebeu os primeiros socorros no dia da ocorrência, bem como às equipes envolvidas em seu resgate.

Ataque nas escadarias da Matriz aconteceu no dia 3 de maio e chocou a cidade (Arquivo/ItapiraNews)
  • O CASO

Era início da tarde de uma quarta-feira, no dia 3 de maio, quando a jovem aguardava pelo horário de entrada no curso que estava frequentando na unidade local do Senac na Praça Bernardino de Campos.

Ela estava sentada nas escadarias da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Penha quando o agressor se aproximou e passou a conversar com outros alunos. Inesperadamente, o rapaz de 20 anos sacou uma faca de sua mochila e passou a desferir golpes contra a vítima.

Ela levou três facadas em um dos braços e duas na barriga. “Na hora eu pensei que fosse um assalto, larguei a bolsa e o celular. Saí correndo e pedi socorro, entrei no Senac e me ajudaram. Eu sentia muita dor e pedia para ligarem para o meu esposo”, conta a vítima.

O agressor foi detido ainda na praça por populares. Unidades da GCM (Guarda Civil Municipal) e da PM (Polícia Militar) chegaram logo em seguida e ele foi levado à Delegacia de Polícia, sendo autuado em flagrante por tentativa de homicídio triplamente qualificada.

Sua prisão preventiva foi decretada no dia seguinte pela Justiça. Segundo seu depoimento, o alvo do ataque foi escolhido de maneira aleatória. Após ser socorrida por equipes do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e do Corpo de Bombeiros, a jovem foi levada ao Hospital Municipal.

“Naquele momento eu não imaginava ainda a gravidade do que havia acontecido. Eu desmaiei, mas depois que acordei senti muito medo. Porém, graças a Deus a cada dia que passava o meu quadro de saúde só melhorava, todo dia tinha uma evolução boa, o pessoal me falava que eu estava sempre melhorando e eu confiei muito que tudo ia acabar bem”.

Agora, de volta ao lar, a jovem aguarda pelo resultado de exames que deverão apontar se houve ou não algum comprometimento em nervos ou tendões de uma de suas mãos e definir se haverá necessidade de cirurgia.

O que não impede, de maneira alguma, a celebração diante do fato de estar viva. “Estou muito feliz, com um sentimento de muita alegria por voltar para casa. Estava com muita saudade da minha família, do meu esposo e filhos. Hoje eu sei que praticamente sou um milagre de Deus e mais uma vez agradeço a todos que oraram e torceram por mim”, conclui.

Print Friendly, PDF & Email
Publicidade - Anuncie aqui