Escorpiões que sobrevivem à captura são enviados ao Butantan para produção de soro (Paulo Bellini/ItapiraNews)

O trabalho de coleta de escorpiões no Cemitério Municipal da Saudade foi retomado pelas equipes da Divisão de Zoonoses da Secretaria Municipal de Saúde na última segunda-feira (22).

A atividade foi a primeira do ano com o objetivo de controlar a população dos animais peçonhentos que se proliferam entre as frestas dos túmulos para se alimentarem das baratas.

A última coleta havia sido realizada entre outubro e novembro de 2020. Depois disso, com a maior frequência de chuvas, a ação foi pausada.

Agora, com as temperaturas mais elevadas, os escorpiões voltam a sair mais de seus ninhos e esconderijos, permitindo que as equipes, com uso de uma luz apropriada, consigam fazer a captura.

Até quinta-feira (25), o balanço da operação apontava para a remoção de 1.970 escorpiões, dos quais 1.701 sobreviveram e foram enviados ao Instituto Butantan para produção de soro antiescorpiônico.

“Estamos atuando com seis pessoas divididas em três dup

Escorpições se escondem entre frestas dos túmulos (Paulo Bellini/ItapiraNews)

las. O que impressiona desta vez é que quase não encontramos filhotes, e sim mais escorpiões grandes. Mas isso é natural devido ao prazo entre a última coleta e essa retomada, já era esperado”, diz o médico veterinário Rodrigo Bertini, coordenador da Zoonoses.

De acordo com ele, isso também indica que o trabalho, de fato, tem funcionado no sentido de controlar a população dos escorpições. Vale lembrar que o trabalho não tem por objetivo eliminar totalmente a população dos animais peçonhentos, já que isso resultaria no aumento da população de baratas, inseto do qual o escorpião é predador natural.

  • CRONOGRAMA

A ação deve prosseguir enquanto as temperaturas estiverem em uma média mais elevada, pelo menos até o início de maio.

“Iremos aproveitar esse período em que as chuvas diminuíram e as temperaturas seguem mais altas. Quando esfriar, os escorpiões acabam indo buscar abrigo dentro dos túmulos e o aproveitamento nos dias de coleta cai muito. Esperamos que até o começo de maio ainda seja possível trabalhar”, destaca Bertini.

No Cemitério da Paz, as ações continuam ser menos frequentes, já que a menor presença de túmulos de alvenaria naturalmente faz com que não haja muitos escorpiões. Ainda assim, as equipes também devem aportar no espaço nas próximas semanas.

Publicidade - Anuncie aqui